quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Mídia nacional destaca potencial de investimentos e geração de empregos do Pará

A mídia nacional continua repercutindo os números positivos da produção industrial no Pará, divulgadas na terça-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa realizada pela instituição revelou que o Estado foi o único a apresentar crescimento em 2016 (9,5%), enquanto o restante do País registrou uma queda de 6,6%. O quadro favorável foi destaque no jornal “RedeTV! News”, com comentário da jornalista de economia Salete Lemos, que definiu o Estado como “uma oportunidade interessante de emprego".

Boris Casoy, apresentador do telejornal, perguntou sobre o contraste entre os números negativos da economia brasileira, que resultou na perda de milhares de empregos, e a expansão das oportunidades e investimentos no Pará. Segundo a avaliação de Salete Lemos, isso se deve ao crescimento industrial na região. “Se você está pensando em mudar de vida neste início de 2017, atenção especial ao Estado do Pará”, afirmou a jornalista. O motivo desse crescimento estaria nas parcerias, capacitação e exportação estimuladas pelo governo estadual.

Salete Lemos também destacou a criação do polo têxtil na região oeste paraense. “O Pará tem a matéria-prima da indústria, que é a celulose solúvel, uma reviravolta nos negócios para quem exporta. O Pará exportava a celulose para a China, que com essa matéria-prima acelerava sua produção, invadindo os mercados com roupa barata. Ou seja, nós vendemos a matéria-prima e compramos o produto acabado, uma equação que vai mudar com a criação do polo têxtil no Estado do Pará”, reiterou.

O protocolo de intenções para viabilizar um polo industrial têxtil na região oeste paraense foi firmado entre o governo do Estado e a empresa Jari Celulose, no final do ano passado. O empreendimento será instalado no município de Almeirim, mas com possibilidade de implantação de empresas do setor em outros municípios. Com a iniciativa, o Pará vai agregar valor à celulose solúvel, matéria-prima mais barata para a produção têxtil.

Pará 2030 - A iniciativa foi fruto de uma construção coletiva, que congrega governo e setor produtivo em busca de novos investimentos, visando ampliar a geração de emprego e renda para a população, por meio de incentivos adequados, melhoria da infraestrutura e logística para as cadeias produtivas estratégicas, priorizadas no Programa Pará 2030.

O Pará também foi apresentado como o estado do Norte do Brasil que mais recebeu investimentos nos últimos anos, e tem potencial em diversas áreas para geração de emprego e renda. “Entre os principais investimentos estão energia, mineração, logística, infraestrutura, turismo, ciência, tecnologia e inovação, milhares de oportunidades. O sucesso do Estado está na gestão, educação e exportação”, acrescentou a jornalista.

A questão geográfica também foi ressaltada na avaliação de Salete Lemos. “O Pará tem uma localização geográfica privilegiada, e com a ampliação do canal do Panamá o Estado terá real possibilidade de se consolidar como a melhor rota comercial do Brasil junto ao principal mercado consumidor do mundo, que é a Ásia”, finalizou.

O comentário de Salete Lemos está disponível em http://www.redetv.uol.com.br/jornalismo/redetvnews/videos/economia/para-e-uma-oportunidade-interessante-de-emprego-diz-salete-lemos
Por Lidiane Sousa Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário