sábado, 8 de abril de 2017

Hospital Jean Bitar testa nova tecnologia no controle do diabetes

O Centro Hospitalar Jean Bitar está testando, entre os pacientes com diabetes atendidos pelo hospital, um método inovador de controle da doença. O Holter de Glicose é um sistema de monitoramento contínuo anexado à pele do paciente que foi apresentado no Congresso Brasileiro de Endocrinologia em 2016 e que está sendo utilizado em pacientes do Hospital Jean Bitar, em Belém. O método consiste na anexação de um sensor, que é instalado no tecido subcutâneo com a ajuda de um cateter, o qual fica conectado a um monitor, que, por sua vez, apresenta as medidas da glicemia do paciente em forma de gráficos.

A médica endocrinologista Flávia Cunha explica que até o momento a metodologia mais utilizada para o controle da glicose é o medidor capilar de controle domiciliar, quando o exame é feito através da furada na ponta do dedo. O Holter livra o paciente da furada, e o exame passa a ser feito, então, a partir do sensor anexado à pele como um adesivo, do tamanho aproximado de uma moeda.

O resultado é lido através de um leitor por tecnologia wireless (sem fio) permitindo a realização de uma leitura contínua e mais detalhada, por meio de gráficos. “Além do valor absoluto da glicose no exame realizado naquele momento, o Holter também aponta uma tendência de queda ou de subida da taxa. Gera um gráfico do fluxo da glicemia do paciente permitindo um entendimento mais detalhado do controle do diabetes”, comenta.

Por ser uma nova tecnologia, o método ainda não é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Cada aparelho que é utilizado durante 28 dias custa em média R$ 600,00. A equipe do Jean Bitar adquiriu o aparelho, que por enquanto está sendo utilizado em forma de teste, o que será expandido gradualmente.

Resultados
A dona de casa Thays Teixeira, 24 anos, moradora do município de Ponta de Pedras, no arquipélago do Marajó, foi a primeira paciente a receber o Holter de Glicose, escolhida pela equipe médica do Centro Hospitalar Jean Bitar. Há 10 anos, quando tinha 14 anos apenas, Thays começou a sentir sintomas como o emagrecimento, muita fome, dor de cabeça e problemas na visão quando foi diagnosticada com Diabetes tipo 1.

Neste tipo de diabetes o pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina, fazendo com que o organismo não seja capaz de utilizar o açúcar no sangue. A doença é de origem genética e normalmente é diagnosticada durante a infância ou adolescência.

Desde então Thays começou uma luta diária para o controle do diabetes e há um ano vem sendo tratada pela equipe do Jean Bitar. Há uma semana ela recebeu o Holter e ela mesma faz a leitura da taxa com o aparelho. “Geralmente eu utilizo o método capilar o que, apesar de já estar habituada, ainda provoca um certo desconforto com a furada”, comenta.

O que mais chamou a atenção da paciente nesta primeira semana de utilização do Holter é o fato do aparelho mostrar a tendência do comportamento da taxa de glicose. “O aparelho não incomoda, é como um adesivo. Fico feliz em colaborar neste teste para que esta nova tecnologia possa chegar a todas as pessoas que precisam fazer o controle do diabetes”, comenta.

De acordo com o diretor executivo da unidade hospitalar, Giovani Merenda, futuramente a metodologia vai contemplar todos os pacientes diabéticos assistidos pelo Jean Bitar. "É o início de um projeto que alcançará gradativamente a integralidade de nossos assistidos com a doença, que atinge cerca de 16 milhões de brasileiros", comentou.

A metodologia pode ser utilizada por todos os pacientes diabéticos, no entanto, a equipe médica está priorizando a indicação para os pacientes insulinizados, que necessitam de controle rigoroso da glicemia.

Com 70 leitos e com assistência de média e alta complexidade o Centro Hospitalar Jean Bitar mantém o único Laboratório de Habilidades Videolaparoscópicas da região, além de ser referência estadual para endoscopia digestiva, endocrinologia, reumatologia, geriatria, pneumologia e clínica médica.

Os usuários do centro contam com uma equipe de especialistas, estrutura, equipamento e tecnologias de ponta para realização de cirurgias de parede abdominal e gástrica, e ainda para cirurgias nas vias biliares e intestino.

A unidade hospitalar é um órgão público administrado pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Serviço:
O Centro Hospitalar Jean Bitar fica na Rua Cônego Jerônimo Pimentel, Umarizal, em Belém. Mais informações: (91) 3239-3800

Por Márcio Flexa - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário