terça-feira, 13 de junho de 2017

Corpo de Bombeiros reforça fiscalização na venda de fogos de artifício

No período de festas juninas, é comum a incidência de acidentes com crianças e adultos no manuseio de fogos de artifício. De acordo com levantamento dos bombeiros, uma em cada 10 pessoas que soltam fogos sofre algum tipo de acidente. Para tentar reduzir os riscos, desde maio o Corpo de Bombeiros do Pará intensifica vistorias nos estabelecimentos que comercializam fogos de artifício em Belém. 

“Todo local precisa estar com a liberação do Corpo de Bombeiros em dia, assim como a certificação do Exército Brasileiro. Verificamos se as saídas de emergência estão bem localizadas, as formas de armazenamento dos fogos, que precisam estar longe do chão, em prateleiras de no máximo 2 metros. Os corredores precisam ter pelo menos um metro de largura para facilitar a retirada do material sem causar nenhum dano”, explicou o capitão Raimundo Nonato Moura, coordenador do Centro de Atividades Técnicas da corporação.

Atendimento imediato - Em caso de queimaduras, a vítima deve solicitar uma viatura-resgate pelo número 190. Para aliviar a dor, deve-se mergulhar a parte queimada em água corrente e não utilizar produtos caseiros, como creme dental e manteiga. O auxílio médico tem de ser solicitado com urgência.

Cuidados para evitar acidentes:
- Ler as instruções impressas na caixa;

- De forma alguma usar/soltar rojão com as mãos. Na embalagem vem o suporte para o uso do foguete.

- Deixar o rojão fixo na base, para evitar queda e um grave acidente. É bom se certificar que a base do rojão esteja firme.

- Não soltar qualquer tipo de fogos em lugares fechados, embaixo de árvores e fiações elétricas ou perto de animais.

- Crianças não devem soltar quaisquer tipos de rojões. No caso de bombinhas, a compra e o manuseio devem ser realizados por um responsável. (Portal ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário