segunda-feira, 26 de junho de 2017

Jatene se reúne com executivos do BID para tratar sobre educação

O governador do Pará, Simão Jatene, retomou neste domingo, 25, a agenda de compromissos oficiais pelo Governo do Estado, após passar por um período de acompanhamento e avaliação, procedimento necessário depois que realizou um cateterismo e colocou um "stent" coronário, no início da semana. No final da tarde e início da noite de ontem domingo, Jatene esteve reunido com executivos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que estão em Belém para conhecer o Programa da Expansão e Melhoria da Qualidade da Educação Básica do Pará, financiado pelo banco, que a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) está executando.
No encontro, estiveram presentes executivos de nove países: Japão, Panamá, França, Bahamas, Itália, Uruguai, México, Peru e o diretor executivo para o Brasil e Suriname, Antonio Pinheiro Silveira. Também participaram do encontro o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, e os secretários Adnan Demachki, de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, e Ana Cláudia Hage, de Educação.

O Programa da Expansão e Melhoria da Qualidade da Educação Básica dá concretude ao Pacto pela Educação, programa que integra órgãos públicos estaduais e municipais, instituições civis e empresas visando melhorar os indicadores da educação paraense.

O Pará foi o segundo Estado que mais cresceu no ranking nacional do Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) 2015. Resultado desse esforço, a Seduc já começa a colher dados positivos, por exemplo, também no índice de proficiência dos alunos em Língua Portuguesa e Matemática, que, pelo segundo ano consecutivo, cresceu em 2016.

O investimento em educação através de financiamento do BID inclui os setores de melhoria da rede física escolar (projetos em andamento e em licitação); ampliação do ensino; qualificação de educadores; melhoria da gestão e aquisição de recursos tecnológicos.

Os recursos estão sendo investidos em três grandes eixos: o primeiro é chamado de “Expansão da Cobertura e Melhoria da Infraestrutura”, que prevê investimentos em obras e na implantação de um novo modelo de ensino Médio, chamado de “Sistema Educacional Interativo” (SEI).

Obras vão beneficiar 54 municípios
Estão em execução atualmente 17 obras, e mais 13 estão sendo contratadas. Os dois pacotes beneficiam 19 municípios: Bragança, Benevides, Ananindeua, Conceição do Araguaia, Inhangapi, Maracanã, Pau D’Arco, Salinópolis, Salvaterra, Santarém Novo, São Miguel do Guamá e Uruará, Cametá, Castanhal, Limoeiro do Ajuru, Acará, Abaetetuba, Terra Santa e Belém.

Relevante nesse rol de realizações é o SEI, que está em fase de implantação bem avançada. Levará o Ensino Médio Regular a estudantes de 37 municípios residentes em lugares remotos; eles terão aulas via satélite e pela internet, com ajuda de tutor in loco, em 145 salas de aula interligadas a um centro de televisão em Belém. Essas salas de aula serão implantadas, na grande maioria, em localidades de difícil acesso. Com essa modalidade, a Seduc vai abrir mais 15,2 mil vagas no Ensino Médio Regular em todo o Estado.

Os equipamentos de transmissão e recepção de sinal de satélite e de internet, bem como a instalação do centro de mídia em Belém, já foram contratados. As aulas iniciarão no segundo semestre de forma experimental e, definitivamente, no ano letivo de 2018.

A “Melhoria da Progressão dos Estudantes, Conclusão e Qualidade da Educação Básica” é o terceiro eixo, cujos projetos estão em andamento: o “Mundiar” - em parceria com a Fundação Roberto Marinho - é destinado à aceleração da aprendizagem; o “Aprender Mais” atua na recuperação de conteúdo; “Jovem de Futuro” - com o apoio do Instituto Unibanco - trabalha na melhoria do desempenho da gestão escolar.

Outros projetos são: “Alfabetização”, abrigado no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic); “Formação de Habilidades Socioemocionais” (Escola de Tempo Integral) em contratação, formação inicial e treinamento de professores, além da implantação de um Centro de Formação (Cefor, já funcionando). O terceiro eixo é o “Programa de Gestão e Monitoramento da Rede Escolar e Avaliações”, que contempla um sistema de gestão e macro-processamento; avaliação em larga escala e capacitação de gestores.

Além dos recursos do BID, o governo do Estado investe no Programa da Expansão e Melhoria da Qualidade da Educação Básica, uma contrapartida de 150 milhões de dólares, basicamente no recondicionamento da rede de escolas, que tem mais de 800 estabelecimentos em todo o Estado. Para cumprir os prazos, a Seduc está numa operação que envolve um grande número de servidores, empresas, organizações sociais, Institutos e fundações.

“Não se conhece na história da Seduc momento como esse, de grande empenho para se mudar a qualidade do ensino. Estamos ampliando a rede, readequando escolas e equacionando deficiências de instalações; investindo na qualificação de educadores e gestores. São ações concretas, pertinentes ao atendimento das metas que precisamos alcançar”, diz a secretária de Educação, Ana Claudia Serruya Hage.
Por Governo do Estado do Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário