quarta-feira, 21 de junho de 2017

Paysandu empata com o Boa Esporte dentro da Curuzu e torcida vaia novamente

Não foi dessa vez que o Paysandu saiu do jejum de vitórias na Série B do campeonato brasileiro. O empate sem gols com o Boa Esporte - inquilino da zona de rebaixamento da competição - dentro da Curuzu, em Belém, fez com que a torcida voltasse a vaiar a equipe, na noite de ontemterça-feira (20). O primeiro tempo foi de muita movimentação, nove impedimentos e gol mal anulado do Paysandu. Na segunda etapa, a torcida bicolor só festejou as substituições de Rogerinho Gameleira e se assustou com o gol marcado por Julio Santos, para o Boa, mas em posição flagrante de impedimento.

Apesar do lema de 'pontuar sempre', o empate não foi o bastante nem mesmo para que os times mantivessem suas posições na tabela de classificação. Antes mesmo do encerramento da rodada, o Papão já saiu da 10ª colocação e o Boa da 17ª.

Saiba como foi a partida lance a lance aqui!

O Bicola, em conversas adiantadas com o técnico Marquinhos Santos, deve embarcar para Maceió (AL) já com o anúncio do novo técnico para enfrentar o time do seu antigo comandante. O Paysandu visitará o CRB, de Dado Cavalcanti, no Rei Pelé, às 19h15 desta sexta-feira (23). O Boa, por sua vez, receberá o ABC, às 20h30 do mesmo dia, no Dilzon de Melo, em Varginha (MG).

1º tempo: jogo franco, gol anulado e vários impedimentos

O primeiro tempo foi de muita movimentação ofensiva e vários impedimentos. Ao todo, foram nove marcações dos 'bandeirinhas' em uma média de um a cada cinco minutos. O Paysandu começou assustando aos sete minutos, em um tipo de jogada que seria recorrente em toda a primeira etapa: chute de fora da área de Diogo Oliveira. Daniel Luiz espalmou! O Papão se manteve no ataque e, aos 13, Welinton Junior interceptou um chute cruzado de Perí e acertou ma bela bicicleta. A bola passou perto!

Três minutos depois, foi a vez do Boa Esporte aparecer com grande perigo e foi logo obrigando o goleiro Emerson a fazer milagre. Rodolfo recebeu lançamento dentro da área e, sozinho, apareceu de cara com o camisa 01 do Bicola, que fechou o ângulo e mandou pela linha de fundo. Na cobrança do escanteio, a sobra ficou com Rodolfo, que arriscou de fora da área e Emerson voou para espalmar pela linha de fundo.

O jogo ficou equilibrado e o time mineiro voltou a assustar. Reis, aos 26, foi para a área e, sem marcação, cabeceou o cruzamento de Rodolfo muito perto da trave direita de Emerson. O Bicola apareceu aos 39 com bola na rede, mas o gol foi anulado. No lance, Diogo oliveira cobrou falta na barreira. A sobra ficou com Wesley, que tentou o passe e viu a redonda desviar em dois defensores mineiros até cair no pé de Welinton Junior, sozinho na área. O assistente levantou a bandeirinha, mas o atacante finalizou e o goleiro rebateu com o pé. A bola voltou para Diogo Oliveira jogá-la na rede, mas não valia nada. Welinton Junior recebera, porém, em posição normal.

Aos 40, uma falha da defensiva bicolor permitiu que o atacante Wesley, do Boa, ficasse de frente com Emerson, que saiu por baixo. A redonda não foi acertada por ninguém e ficou parada a dois passos da linha do gol, até o goleiro bicolor cair sobre ela e praticar a defesa. No minuto seguinte, o Papão saiu com Diogo Oliveira, que, de fora da área, arriscou outra vez e mandou perto.

2º tempo: 'calo no olho', empate e vaias

O Papão voltou com a entrada de Bergson no lugar do apagado Welinton Junior. AOs seis minutos, o artilheiro bicolor na temporada foi o autor do primeiro lance de perigo da etapa final. Aos seis minutos, ele foi acionado dentro da área e escorou para Daniel Amorim, mas teve o passe interceptado por Léo Baiano, que quase faz contra. Daniel Luiz, bem colocado, defendeu.

Aos 20, Rogerinho já havia feito mais uma substituição. Marcão - que havia entrado no posto de Daniel Amorim - foi para a área e completou o cruzamento de Jhonnatan com uma testada que passou rente à trave esquerda do Boa. Dez minutos depois, o terceiro jogador escolhido por Gameleira para sair do banco de reservas e entrar no jogo também foi ao ataque. Tiago Mandí bateu de fora da área e obrigou Daniel Luiz a fazer boa defesa. 

O jogo caiu no marasmo e só voltou a ter algo de interessante nos acréscimos. Aos 46, Lucas Taylor recebeu na direita e, ao tentar cruzar na área, acabou mandando a bola direto para o gol. Daniel Luiz espalmou. Dois minutos depois foi a vez do Boa Esporte ter um gol anulado, mas em flagrante impedimento de Julio Santos.


Ficha técnica (Paysandu 0 x 0 Boa Esporte)

Paysandu - Emerson; Lucas Taylor, Fernando Lombardi, Perema e Perí; Ricardo Capanema, Wesley, Jhonnatan e Diogo Oliveira (Tiago Mandí); Welinton Junior (Bergson) e Daniel Amorim (Marcão). Técnico interino: Rogerinho Gameleira

Boa Esporte - Daniel Luz; Ruan, Léo Baiano, Júlio Santos e Paulinho; Geandro (Escobar), Diones, Felipe Mateus e Reis (Gil Mineiro); Rodolfo e Wesley (Ramon). Técnico: Nedo Xavier

Cartões amarelos: Perí (Paysandu); Geandro (Boa Esporte)

Local: Curuzu (Belém/PA)
Data: 20/06/2017
Hora: 20h30
Árbitro: Marcos Mateus Pereira - MS (CBF)
Assistentes: Cicero Alessandro de Souza - MS (CBF) e Daiane Caroline Muniz dos Santos - MS (CBF)
Público: 4.899 (1.249 pag., 2.450 sócios e 1.200 cred.)
Renda: R$ 51.160,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário