sábado, 19 de agosto de 2017

Bolsa Família ajuda na renda de 914 mil no Pará

 Desde ontem (18), 914.009 famílias em situação de extrema pobreza ou vulnerabilidade social no Pará estão recebendo os benefícios do Bolsa Família. Neste mês de agosto, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) está repassando ao Estado R$ 181.223.885,00 - R$ 198,27 para cada família, em média. O pagamento segue até o próximo dia 31.
Em todo o País, a pasta está repassando R$ 2.425.517.419,00 para complementar renda de 13.495.513 famílias de baixa renda - R$ 179,73, em média. O valor repassado varia conforme o número de membros da família, a idade de cada um e a renda declarada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Segundo o MDS, essa foi a terceira vez no ano que a fila de espera do Programa Bolsa Família foi zerada.

 Em agosto, 828 mil famílias começam a receber o benefício no País. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, ao zerar a fila de espera, o governo federal mostra que é possível aprimorar os mecanismos de controle do Bolsa Família e destinar o benefício para quem realmente necessita. "Com o pente-fino, conseguimos afastar as pessoas que tinham renda maior e repassar o benefício para quem mais precisa. As 828 mil famílias que estão entrando agora vão receber o Bolsa enquanto não tiverem uma fonte de sustento mais alta", afirma.

Terra ressalta que o cruzamento de dados frequentes reduziu o tempo que o poder público leva para identificar se as famílias têm renda superior à exigida para ingressar e permanecer no programa. O Bolsa Família é voltado para famílias extremamente pobres (renda per capita mensal de até R$ 85,00) e pobres (renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00). Ao entrarem no programa, as famílias recebem o benefício mensalmente e, como contrapartida, cumprem compromissos nas áreas de saúde e educação.

Para saber o dia em que é possível sacar o dinheiro, deve-se observar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão. No primeiro dia, recebem as famílias com NIS de final 1. No segundo dia, os cartões terminados em 2 e, assim, sucessivamente. Os recursos ficam disponíveis para saque durante 90 dias.

No geral, o Pará é o sétimo Estado com o maior número de beneficiários, atrás da Bahia (1.797.646 famílias), São Paulo (1.476.798 famílias), Pernambuco (1.123.214), Minas Gerais (1.031.565), Ceará (1.017.256) e Maranhão (965.914). Dentre os municípios do Estado, Belém é o que aparece com o maior número de famílias beneficiárias, 110.489, e repasse correspondente de R$ 17.338.593,00  - valor individual médio de R$ 156,93. 

Na sequência aparece Ananindeua (37.871 famílias e repasse total de R$ 5.601.055,00); Santarém (28.122 e R$ 5.050.714,00); Abaetetuba (27.404 e R$ 5.781.747,00); e Cametá (19.922 e R$ 4.549.153,00).

Esse foi o maior número de beneficiários do bolsa Família no Pará desde outubro, quando o MDS divulgou o resultado do maior pente-fino já realizado no programa. Na ocasião, o ministério anunciou que encontrou inconsistências em 1,1 milhão de benefícios pagos pelo governo federal. No Pará, foram 45.807 irregularidades, com o cancelamento de 15.709 mil (1,7% do total) e o bloqueio de 30.098 (3,3%).

Em todos os casos, foi constatado que a renda das famílias era superior à exigida para ingresso e permanência no programa. Para efeito de comparação, no mês de setembro do ano passado, o Pará recebeu R$ 185.240.008,00 para ser distribuído a 910.399 famílias beneficiárias (média de R$ 203,47 por família); em outubro, caiu para 896.253 famílias e o repasse total foi de R$ 182.548.840,00 (R$ 203,68 de média individual).

Uma nova triagem do governo federal está em andamento. No mês passado, 868.618 famílias em situação de extrema pobreza ou vulnerabilidade social foram beneficiadas no Pará, com repasse total de R$ 174.364.337,00 - R$ 200,74 para cada família. (ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário