quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Pará teve saldo positivo de 1,8 mil vagas em julho

O Pará teve saldo positivo de 1.862 vagas de emprego em julho, com 20.012 contratações e 18.150 demissões. O resultado positivo acompanhou o nacional. Em todo o Brasil, a economia criou 35,9 mil novos empregos com carteira assinada em julho, no quarto mês consecutivo de resultado positivo. O dado surpreendeu economistas, que esperavam até uma retração no mercado de trabalho, já que julho costuma ser o segundo pior mês em contratações no País. Os números divulgados ontem (9) indicam também que a melhora foi generalizada. Até então, o único setor que abria mais vagas do que fechava era o da agropecuária. Dessa vez, cinco setores tiveram crescimento.

No mês passado, a indústria liderou a criação de vagas e também houve contratação no comércio, serviços, agropecuária e construção civil. Ao apresentar os dados, o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira avaliou que o pior ficou para trás. “Com certeza, teremos números melhores em agosto. O Brasil não terá mais números negativos até novembro.”

Em busca de uma agenda positiva, o governo antecipou o indicador que normalmente é apresentado na segunda quinzena do mês. Com a pressa, alguns dados, como a leitura do emprego em 12 meses, não foram apresentados porque a base de dados não estava fechada. O número divulgado superou todas as previsões de economistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam 5,5 mil empregos, e foi maior até que o cenário mais otimista que citava 30 mil novos postos. 

Para o economista da consultoria Tendências Thiago Xavier, o principal aspecto positivo do resultado do Caged em julho é que a melhora se mostrou generalizada, com geração de emprego em todos os setores. “É um indício de que os primeiros efeitos do avanço da atividade econômica já aparecem no mercado de trabalho”, disse.

Em julho, a indústria contratou 12,59 mil trabalhadores e o comércio assinou a carteira de outros 10,15 mil. O último julho com contratação no varejo foi em 2014 e na indústria, 2013. Outros setores também geraram postos no mês passado: serviços (7,71 mil), agropecuária (7,05 mil) e construção civil (724). A contratação de novos empregados pelas construtoras é simbólica porque esse foi o primeiro resultado positivo após 33 meses seguidos de demissões.(ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário