quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Preço do botijão de gás sobe 2,2% nas distribuidoras

Os preços praticados pelas distribuidoras de gás na Grande Belém foram reajustados a partir desta semana. De acordo com os levantamentos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese-PA), o repasse para os consumidores chega, em média, a 2,2% pelo botijão de gás de cozinha de 13 quilos. Este percentual, no entanto, está abaixo do reajuste de 6,9% autorizado pela  Agência Nacional do Petróleo (ANP) nas refinarias na semana passada. Com este reajuste, o preço médio do botijão de gás em Belém ficou na casa de R$ 55. 

O valor mais barato encontrado pelo Dieese-PA foi de R$ 47, enquanto o botijão mais caro estava na casa de R$ 65. Apesar deste valor elevado, Belém ainda é a capital do Norte onde o botijão é mais barato.

Nas cidades do interior do estado, porém, o gás custa ainda mais caro: em Redenção o botijão é vendido a R$ 81, em Paragominas o preço médio do gás é R$ 77, em Xinguara o gás custa R$ 76,50, em Conceição do Araguaia o preço médio é R$ 74 e em Altamira o valor cobrado é na casa de R$ 73,50.

Conforme aponta a dona de casa Rosângela Sousa, para compensar o novo preço será necessário fazer um realinhamento das despesas. "Não podemos ficar sem gás, afinal praticamente todos os alimentos servidos em casa passam pelo fogão. A alternativa vai ser contar de algum item do orçamento, como o lazer por exemplo. O que não podemos é pedir quentinha todo dia", reclama. 

A dona de casa chama a atenção para uma questão que também pode sofrer reajuste: a alimentação fora do domicílio. "Vamos ficar na expectativa que os restaurantes segurem seus preços", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário