segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Rodovias do sudeste do Estado serão recuperadas

O rigoroso inverno que atingiu o Pará agravou a situação de diversas estradas. Por conta disso, a Secretaria de Estado de Transporte (Setran) planeja a recuperação de várias rodovias. O serviço de recuperação dos pontos mais críticos terá início assim que terminar o levantamento que está sendo feito por técnicos do órgão. Foram identificados, recentemente, que há problemas de afundamento de trilhas de roda (ATR), buracos ou panelas, deformação plástica, nos 65 km da rodovia PA-150, entre Jacundá e Morada Nova, apesar das correções realizadas nos pontos mais críticos pelas empresas responsáveis pela execução da obra.
Enquanto aguarda o resultado de perícia (previsto para 30 dias) instaurada com vistas a atribuir as devidas responsabilidades, caso sejam identificadas falhas de projeto, má execução ou, até mesmo, excesso de carga por eixo que, aliado às condições estruturais do subleito, pode ter causado a degradação precoce da rodovia.

Outra recuperação prevista é da PA-275. A pavimentação e a sinalização da rodovia, que liga Curionópolis a Parauapebas, serão realizadas pela empresa Construfox, que mantém contrato de manutenção com a Secretaria. Os serviços de recuperação no trecho serão iniciados na próxima quinta-feira, 17, encerrando-se em, aproximadamente, 15 dias.

 Neste prazo, a equipe da contratada se dirigirá à PA-160, que liga Parauapebas a Canaã dos Carajás, para dar início aos serviços de manutenção dos trechos que necessitam de reparos, incluindo a reposição da sinalização da via.

A Construfox Construções e Incorporações Ltda. também foi vencedora da concorrência aberta pela Secretaria de Estado de Transportes visando à pavimentação de 8 km da PA-477, no trecho do entroncamento da BR-153 até Piçarra, também no sudeste paraense, na Região de Integração do Carajás, sob a responsabilidade do 5º Núcleo Regional, sediado em Marabá. 

O extrato de contrato já foi publicado no Diário Oficial. Só para esta obra o Estado vai investir quase R$ 13 milhões.
Por Karlla Catete - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário