sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Turistas elegem Belém a nº 1 da culinária brasileira

Belém está no topo do ranking da culinária das cidades do Brasil, com aprovação de 99,2% dos visitantes estrangeiros, de acordo com pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo e divulgada esta semana. O índice supera a média nacional, que é de 95,4%, equivalente à nota máxima. Dos turistas entrevistados que visitaram a capital paraense no ano passado, 34% eram franceses. Também opinaram visitantes norte-americanos, holandeses, argentinos e alemães.  Mundialmente conhecida, a culinária paraense é uma mistura de diversas culturas e de distintos sabores, que formam uma das mais peculiares, desejadas e elogiadas comidas do planeta, da maniçoba ao tacacá, passando pelo açaí com camarão, charque frito, peixe assado, caruru, frutas regionais como cupuaçu, taperebá, bacuri, pupunha e até o chibé, entre muitas outras iguarias.
São delícias que fazem o deleite dos visitantes de todas as partes do país e do mundo em todas as épocas do ano e se somam a outro ingrediente que causa sensação: o jambu, erva que provoca um “tremelique” na boca, usado no tacacá e até em cachaça - e que virou tema da música “Jamburana”, de Dona Onete, artista número 1 na parada europeia de world music.
Depois da capital paraense, as cidades mais bem avaliadas na pequisa do Ministério do Turismo foram Belo Horizonte (98,5%), Porto Alegre (98,2%), Paraty (97,7%) e São Paulo (97,5%). Amplamente comercializadas em vários estabelecimentos da capital, sobretudo em restaurantes, muitos dos pratos famosos podem ser encontrados também, e diariamente, nas barraquinhas de rua de Belém, principalmente nos centros comerciais, praças e avenidas movimentadas.

No Mercado do Ver-o-Peso os pratos regionais também podem ser encontrados. Servindo almoço todos os dias para centenas de fregueses, a comerciante Avelina dos Santos, de 48 anos, que trabalha com iguarias típicas de Belém há pelo menos duas décadas, disse que a procura pelos pratos regionais é sempre grande. “Todo dia vem muita gente almoçar maniçoba, vatapá, caruru. Tem gente que só almoça aqui”, disse ela. 

Avelina confirmou a presença constante de turistas em busca da comida típica paraense, principalmente no Círio e em épocas de férias. “Mas a nossa maior clientela é mesmo feita por gente daqui, que não cansa nunca de comer e se deliciar com os sabores do Pará”, acrescentou. Além do almoço regional, segundo explicou a vendedora, muita gente procura também pelo “tacacá da tarde”. “No final da tarde, aqui, enche de gente procurando o tacacá, mesmo em dias quentes”, atestou. “É o famoso tacacá das tardes de Belém. Conheço gente que não fica um dia sem provar do tacacá. Eu mesma, apesar de trabalhar todos os dias com comidas regionais, nunca enjoei da nossa comida. Sou uma verdadeira fã”.

Ontem (4), um grupo de turistas de Minas Gerais conheceu os tradicionais bombons regionais vendidos na Feira do Ver-O-Peso, acompanhado por um guia turístico. E se encantou. Doces de cupuaçu, açaí, castanha-do-pará, graviola, bacuri e muruci foram rapidamente desfrutados pelos visitantes, que elogiaram as guloseimas. “É maravilhoso!”, elogiou o engenheiro Diogo Damasceno, de 29 anos. “Não se compara a nada que eu já provei. Cada sabor aqui é único, muito diferente de tudo. Já tomei açaí do jeito paraense, que é totalmente diferente do que eu conhecia, que era mais parecido com um sorvete, já comi maniçoba... Só falta o tacacá, que também pretendo provar”. 

E a repercussão do estudo veiculado pelo Ministério do Turismo causou uma grande surpresa, ontem: aguçou a curiosidade do ator Paulo Betti, da Rede Globo, que veio a Belém divulgar o filme “A Fera na Selva” - uma livre adaptação do romance homônimo do escritor norte-americano Henry James -, e o fez aproveitar a tarde para degustar as comidas típicas locais. Em uma venda localizada na Avenida Duque de Caxias com a Travessa Enéas Pinheiro, ele provou e aprovou um dos mais tradicionais pratos paraenses, a maniçoba.   





Nenhum comentário:

Postar um comentário