terça-feira, 5 de setembro de 2017

Agenda do dia: veja o que você precisa saber hoje terça feira (05.09)

Delação da JBS na mira
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse no início da noite desta segunda-feira que o acordo de delação premiada firmado pelo Ministério Público Federal com a JBS pode ser anulado caso sejam comprovadas irregularidades por parte dos executivos do grupo empresarial, como omissões no processo de colaboração.

Investigadores obtiveram na semana passada áudios nos quais o dono da empresa, Joesley Batista, conversa com Ricardo Saud, diretor institucional. Saud disse no diálogo que o procurador Marcelo Miller, que atuou por três anos no gabinete de Janot, estava “afinado” com eles e que estaria encaminhando o acordo de colaboração premiada que viria a ser fechado. O diálogo ocorreu, provavelmente, no dia 17 de março, dez dias depois da conversa gravada por Joesley com o presidente da República, Michel Temer e dez dias antes de o acordo de delação ser efetivamente fechado. (Via VEJA.com)

Delação da JBS na mira

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse no início da noite desta segunda-feira que o acordo de delação premiada firmado pelo Ministério Público Federal com a JBS pode ser anulado caso sejam comprovadas irregularidades por parte dos executivos do grupo empresarial, como omissões no processo de colaboração.

Investigadores obtiveram na semana passada áudios nos quais o dono da empresa, Joesley Batista, conversa com Ricardo Saud, diretor institucional. Saud disse no diálogo que o procurador Marcelo Miller, que atuou por três anos no gabinete de Janot, estava “afinado” com eles e que estaria encaminhando o acordo de colaboração premiada que viria a ser fechado. O diálogo ocorreu, provavelmente, no dia 17 de março, dez dias depois da conversa gravada por Joesley com o presidente da República, Michel Temer e dez dias antes de o acordo de delação ser efetivamente fechado. (Via VEJA.com)

Adoções de crianças
Apesar de não votarem a reforma política como estava previsto, os deputados aprovaram ontem um projeto de lei que estipula e encurta prazos para diversas normas previstas no processo de adoção, como busca pelos pais biológicos, citação da família de origem, procedimentos de retirada da tutela em casos de violência e convivência com a família interessada. (Via Agência Brasil)

Grupo de Alckmin reage a Doria
O grupo político do governador de São Paulo reagiu à entrevista do prefeito João Doria na qual ele defendeu o desempenho nas pesquisas de intenção de voto como critério na escolha do candidato do PSDB à Presidência em 2018 e em que não descartou disputar o cargo por outro partido. “O PSDB não tem nenhuma previsão de estabelecer as pesquisas como critério de escolha de candidato. Em 2016 (na eleição municipal) a escolha do candidato à Prefeitura foi prévias”, disse o deputado federal Silvio Torres. Secretário-geral do PSDB, ele é alinhado com Alckmin. (Via Estadão)

ONU repudia Coreia do Norte
Os Estados Unidos e seus aliados europeus e japoneses anunciaram que negociam uma série de sanções das Nações Unidas contra a Coreia do Norte, embora a posição de Pequim e Moscou, ambos com direito de veto, seja incerta. Essas novas medidas devem ser submetidas no dia 11 de setembro ao voto do Conselho de Segurança das ONU, que se reuniu em Nova York na segunda-feira (4) para discutir o tema. (Via RFI)

Nenhum comentário:

Postar um comentário