quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Fundação Cultural do Pará promove oficinas no interior paraense

O Núcleo de Oficinas Curro Velho, da Fundação Cultural do Pará (FCP), foi até o município de Marabá, no sudeste paraense, para promover uma oficina de teatro voltada a estudantes da rede pública. Durante uma semana, os estudantes farão exercícios baseados nas técnicas de Stanislavski e Juan Carlos Corazza, que visam estimular a percepção sobre a composição de personagens a partir do olhar ativo sobre a memória emotiva e seus cotidianos. A atividade teve início na segunda-feira (2) e segue até a sexta (6), ministrada por Guilherme Gonzales. Na última sexta-feira (29), outros cidades como Baião, Mãe do Rio, Santa Cruz do Arari, Óbidos, Oriximiná, Igarapé-Açu e Tucuruí encerraram mais um ciclo de oficinas promovidas pela FCP, em parceria com as prefeituras. 

Com a ação, os moradores tiveram a oportunidade de participar, gratuitamente, de oficinas diversas, entre as quais de confecção de instrumentos musicais, iniciação ao teatro, cenografia, dança, expressão corporal e samba de cacete.


“A demanda sempre parte do município, que solicita a capacitação. A FCP fica a cargo da execução, nós disponibilizamos os instrutores e os materiais que serão utilizados. Nosso objetivo maior é capacitar a mão de obra local para dinamizar a economia e ter nesses alunos agentes multiplicadores”, comenta a coordenadora do projeto que leva oficinas ao interior do Estado, Deusa Vasconcelos.

Em Mãe do Rio, cerca de 40 alunos, entre jovens e adultos, participaram das oficinas de iniciação teatral e cenografia. O instrutor Leonardo Andrade conta que para desenvolver ambas as atividades elegeu a peça teatral infantil “Pluft, o Fantasminha”, escrita pela dramaturga brasileira Maria Clara Machado.

Já Igarapé-Açu também recebeu as oficinas de dança regional e de teatro, que reuniram cerca de 40 alunos. O instrutor Flávio Negrão trabalhou técnicas de jogos teatrais, desenvolvendo a prática em grupo para quebrar a timidez dos participantes, para que estes tivessem uma maior compreensão do coletivo. A partir dos jogos, os alunos experimentaram a interpretação. Na oficina de dança, o instrutor trabalhou os estilos contemporâneo e de salão, destacando a diversidade.

Seguindo a programação deste ano, a Fundação Cultural do Pará, continuará atendendo os municípios interessados, com oficinas até dezembro. (Agência Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário