quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Cosanpa garante em Brasília a retomada de obras e projetos

  Em Santarém e Alter-do-Chão, segundo o projeto, serão construídos mais oito poços de 250 metros de profundidade cada.
 A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) deve anunciar nos próximos dias a retomada de obras e projetos importantes nas áreas de captação, abastecimento e tratamento de água e de esgoto no estado. A informação foi dada pelo presidente da companhia, Cláudio Conde, após uma série de reuniões nesta quinta-feira (23), em Brasília.
Conde participou de reuniões no Ministério das Cidades e na sede da representação do Governo do Estado do Pará no Distrito Federal. Na representação, o presidente da Cosanpa se encontrou com a diretoria da empresa Ello Engenharia, responsável pela obra de ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto do Una (ETE-Una), na Rodovia Arthur Bernardes.

Conde cobrou dos diretores a retomada das obras, que devem garantir eficiência superior a 90% na retirada de matéria orgânica, sólidos suspensos e acima de 99% na retirada de microrganismos, o que garantirá uma significativa melhoria no efluente lançado na Baía do Guajará.

Ao custo de R$ 70 milhões, a obra foi iniciada em novembro de 2013 e possui três etapas, sendo que a primeira irá beneficiar cerca de 200 mil habitantes. “Com essa obra devemos aumentar em até 15 por cento o serviço de tratamento de esgoto nessa área de Belém, que hoje chega a apenas três por cento, por isso é importante fazermos essa retomada”, disse Cláudio Conde.

No Ministério das Cidades, o presidente da Cosanpa se reuniu com técnicos da área de gerenciamento, onde tramitam alguns processos que devem se transformar em obras nas áreas de captação, tratamento e abastecimento de água e tratamento de esgoto.

O projeto de financiamento para a retomada da Estação de Tratamento de Esgoto do Conjunto Almir Gabriel (ETE Almir Gabriel) – antigo Conjunto Che Guevara – foi um dos temas do encontro. A pedido do Ministério das Cidades, a Cosanpa readequou o projeto para garantir o financiamento por parte do governo federal. Pronta, a obra vai beneficiar cerca de dez mil moradores do conjunto.

Ainda no ministério, Cláudio Conde teve informações sobre o andamento de outros três projetos de captação e abastecimento de água: o de captação por meio da ampliação do Lago Bolonha, em Belém, e de abastecimento no município de Santarém, vila de Alter-do-Chão – no oeste paraense – e município de Moju, no Vale do Acará.

Em Belém, segundo o projeto, o sistema produtor e distribuidor de água do Bolonha, que funciona no Parque Estadual do Utinga, deve ser revitalizado e modernizado, com ampliação do sistema de produção e reservação de água tratada de Belém. A obra deve aumentar em 28% a produção total de água do Bolonha.

Em Santarém e Alter-do-Chão, segundo o projeto, serão construídos mais oito poços de 250 metros de profundidade cada, sete Reservatórios Apoiados e três Reservatórios Elevados (REL), sendo dois de 1,2 mil metros cúbicos cada e um de 500 metros cúbicos. 

Também serão recuperados dois Reservatórios Apoiados e um Reservatório Elevado. Está previsto, ainda, a implantação de 216 quilômetros de rede de distribuição de água e de 24.892 novas ligações domiciliares. Atualmente existem 30.730 ligações.

Em Moju,  a obra é a ampliação do sistema de abastecimento de água com captação superficial, 56,65 km de rede de distribuição, 2.830 ligações prediais, estação de tratamento de água e reservatórios apoiado e elevado.
Por Pascoal Gemaque - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário