quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Preço da cesta básica no Norte volta a ser o mais caro do País

Alimentação teve aumento de 1,44% entre agosto e setembro de 2017 e alcançou o valor de R$ 496,82 - alta de R$ 7,05. O preço da cesta básica na região Norte registrou aumento de 1,44% entre agosto e setembro de 2017 e alcançou o valor de R$ 496,82 - alta de R$ 7,05 em relação ao mês anterior, quando fechou em R$ 489,77. Em relação a setembro de 2016, quando a cesta custava R$ 534,03, a redução foi de 6,96% (R$ 37,21). Os dados divulgados nesta terça (31) são da pesquisa realizada pela consultoria GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras).
No geral, apenas os Estados nortistas apresentaram acréscimo no preço da cesta de produtos básicos no último mês. Com a elevação, a cesta voltou a se tornar a mais cara do País, superando a da região Sul, que baixou 0,55% e fechou o mês de setembro em R$ 496,21. O Nordeste registrou a redução mais acentuada (-1,93%) dos produtos básicos no mês passado e alcançou o valor de R$ 397,75. No Centro-Oeste a queda foi de 0,92% e o valor no mês foi de R$ 406,36, e no Sudeste a redução foi de 0,49% e o preço de R$ 426,58.

Em todo o País, a cesta básica apresentou queda de 0,42%, passando de R$ 448,45 para R$ 446,57 em setembro. Já no acumulado dos últimos 12 meses, a cesta apresentou queda de -7,69%.

As maiores quedas de preço no mês de setembro foram registradas em produtos como: cebola (-10,56%), tomate (-9,44%), batata inglesa (-7,19%) e feijão (-5,57%). As maiores altas foram nos itens: xampu (3,44%), biscoito cream cracker (3,38%), pernil (3,04%) e cerveja (3,02%). A cesta Abrasmercado é composta por 35 produtos mais consumidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica.

Vendas

Já as vendas do setor supermercadista em todo o País acumulam alta de 1,11% de janeiro a setembro, em relação ao mesmo período de 2016, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da ABRAS. Em setembro, as vendas do setor supermercadista, em valores reais - deflacionadas pelo IPCA/IBGE apresentaram alta de 3,10% na comparação com o mês de agosto e alta de 4,58% em relação ao mesmo mês do ano de 2016. Em valores nominais, as vendas do setor apresentaram alta de 3,26% em relação ao mês de agosto e, quando comparadas a setembro do ano anterior, alta de 7,25%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 4,84%.

"As vendas do setor supermercadista estão baseadas na queda da inflação, que aumenta o poder aquisitivo e gera mais demanda. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mês de setembro ficou em 0,16%. No ano, o índice acumula 1,78%, o menor resultado acumulado no ano registrado em um mês de setembro desde 1998 (que registrou 1,42%)", destaca o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto.

Sanzovo ressalta ainda a previsão de fechamento do setor para o ano de 2017, que se mantém em torno de 1,50%. "As expectativas para os próximos meses estão positivas. A antecipação do pagamento do PIS/Pasep para idosos, que beneficiará 9 milhões de pessoas, e vai injetar mais de R$ 15 bilhões na economia, o 13º salário, que já está começando a ser pago, aliado à queda dos  juros, são alguns fatores que poderão dar um impulso a mais no consumo dos brasileiros." (ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário