sábado, 13 de janeiro de 2018

Obras de mobilidade urbana são os principais presentes do Governo do Estado para Belém

Presentear Belém com obras que tragam impactos positivos para a população da capital paraense sempre foi uma marca do Governo do Pará. Seja na área da mobilidade urbana, do esporte e lazer, de infraestrutura ou tecnologia, todas ajudaram a criar novos capítulos de uma história que hoje completa 402 anos. Antes de completar a data histórica de 400 anos, um dos presentes entregues foi o 
Terminal Hidroviário do Porto de Belém “Luiz Rebelo Neto”.
Inaugurado em maio de 2014, com capacidade para atender cerca de 1,5 milhão de pessoas por ano, o complexo foi construído em uma área de cerca de cinco mil metros quadrados, no Galpão 9 da Companhia das Docas do Pará (CDP), na Avenida Marechal Hermes, próximo à Visconde de Souza Franco, às margens da Baía do Guajará e trouxe modernidade e conforto para a população que se desloca de Belém para outras cidades do Estado.

Fruto de um investimento de R$ 19 milhões, co-financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a obra representou um salto de qualidade na prestação de um serviço essencial para a mobilidade das pessoas: o transporte hidroviário de passageiros.

Outra obra de mobilidade urbana importante para a cidade e para o aumento da auto-estima, principalmente de moradores dos bairros da Terra Firme, Guamá e Marco, é a duplicação da Avenida Perimetral, que beneficia cerca de 300 mil pessoas. Em seus quase cinco quilômetros de extensão, com boa parte das pistas de rolamento com 7,5 metros de largura, a obra possibilita um fluxo maior e mais rápido de veículos, sendo um corredor de acesso à Estrada Nova e ao centro da cidade. Além da melhora no trânsito, a drenagem profunda realizada no local e asfalto de qualidade beneficiou ainda mais a população que mora às suas margens.

Além da Perimetral, também fazem parte do plano estratégico do Governo do Estado de melhoria de infraestrutura de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Belém, a Avenida Independência, inaugurada em agosto de 2015, e o prolongamento da Avenida João Paulo II, prestes a ser entregue, obra esta que se configura como uma via semi-expressa, que desafogará em grande escala o tráfego na Região Metropolitana de Belém, visto que hoje o acesso à capital paraense é feito apenas pela BR-316 e pela Avenida Independência.

Assim, os motoristas passarão a contar com uma terceira opção. Porém, esse projeto é muito mais que uma obra de mobilidade, porque resultará também em benefícios nas áreas ambiental, paisagística, social, de segurança, mobilidade, telecomunicações e de saneamento básico.

A nova via terá acostamentos, ciclovias e calçadas projetadas em consonância com os preceitos legais de acessibilidade. Também contará com drenagem, iluminação pública e monitoramento de segurança. 

Sete passarelas para pedestres serão implantadas ao longo do eixo de 4,7 quilômetros, às proximidades dos seis pares de pontos de ônibus urbanos.
A interligação da Avenida João Paulo II com a BR-316 se dará pela quarta pétala do elevado do Coqueiro, que já foi construída e entregue em outubro do ano passado. 

Assim, a conexão do prolongamento com o elevado do Coqueiro e deste com a Rodovia Mário Covas (que também vai passar por restauração completa), permitirá o acesso direto à capital de veículos oriundos dos conjuntos Cidade Nova e Paar e bairros do Coqueiro e 40 Horas, em Ananindeua. 

A ideia é melhorar a distribuição do tráfego geral e do transporte público, além de viabilizar a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) na rodovia BR-316 até o município de Marituba.

Utinga
Com quase 1,4 mil hectares, o Parque do Utinga (PEUt) é a maior área de conservação com proteção integral na Grande Belém aberta à visitação e o único parque natural do Brasil localizado em perímetro urbano. O projeto do parque ainda potencializará os aspectos socioambientais com proteção e ordenamento do espaço urbano.

Além disso, o projeto possui um forte viés social. Entre as várias atividades socioambientais desenvolvidas nos bairros do entorno da obra, a iniciativa estabelece a construção de uma central de triagem e o assessoramento na gestão do negócio, com a capacitação e formação dos cooperados para consolidação da coleta seletiva em Belém e Ananindeua, aumentando a quantidade de resíduos sólidos comercializados, ampliando os nichos de atuação do negócio e incrementando a renda média dos beneficiários.

A concepção do projeto também prevê uma composição paisagística que se harmonizará com a do Parque do Utinga. A área da nova Avenida João Paulo II será uma das mais belas de Belém, e, somada à nova proposta do Parque Ambiental do Utinga, se tornará um ponto de contemplação da natureza, entretenimento, esporte e lazer.

No entorno, centenas de famílias foram beneficiadas com um projeto específico e especial. Batizado de “Utinga: Viva o entorno” ele proporcionou à população a execução de serviços de abastecimento de água, rede de esgoto, pavimentação de vias, iluminação pública, drenagem, pintura das fachadas das casas, identificação de vias por meio de placas, instalação de praças, passarelas, aparelhos da academia ao ar livre, brinquedos, lixeiras e uma quadra poliesportiva, além da desobstrução do igarapé Murutucu, que facilitou o escoamento das águas pluviais da Avenida João Paulo II.

A comunidade contou, ainda, com o auxílio do Cheque Moradia para construção e reforma das residências; CredCidadão, para a ampliação de pequenos negócios e a oferta de cursos de qualificação profissional que proporcionaram a oportunidade de geração de renda para as famílias.

Tucunduba
Considerada a segunda maior bacia hidrográfica da capital, o Tucunduba, que atravessa os bairros do Guamá, Universitário, Terra Firme, Canudos e Marco, também passa por uma grande obra que inclui, em sua primeira etapa, a abertura de duas grandes pistas com cerca de 1 km de extensão nas duas margens do canal, compreendendo o trecho da Rua São Domingos até a Rua dos Mundurucus, incluindo também a construção de meio-fio, calçadas e ciclo faixas.

Além disso, também foi feito o alargamento do canal, com serviços de drenagem, dragagem, limpeza, instalação de tubulação de esgoto e revestimento das paredes laterais do canal com grama, para evitar a erosão. O projeto também inclui a construção de três pontes de concreto e uma passarela metálica. A última etapa está sendo realizada no trecho de 1.4 km que começa na Rua dos Mundurucus e termina a Travessa Vileta.

Na área de tecnologia o Governo do Pará entregou o Espaço Inovação do Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá) e deu mais um passo na política de desenvolvimento socioeconômico, com compromisso de ter todos os seus laboratórios a serviço do desenvolvimento das cadeias produtivas de todo o Estado.

O prédio, construído em uma área de 73 hectares cedida pela UFPA e pela Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), recebeu um investimento de cerca de R$ 20 milhões, e é composto por seis laboratórios avançados de pesquisa e desenvolvimento, sendo quatro ligados à UFPA e dois à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), divididos em quase oito mil metros quadrados.

Entre os laboratórios instalados no Centro está o de Agregação de Valor para Produtos Agroindustriais (Agroind/ Embrapa), que oferece serviços de análises de produtos da biodiversidade. Entre os exemplos trabalhados estão algumas cadeias da biodiversidade com potencial para entrar no mercado como produto agrícola ou insumo, como por exemplo, a palma e o dendê.

Esporte e Lazer
Por fim, Belém ampliou ainda mais seu potencial para receber grandes eventos, sejam eles artísticos, esportivos ou culturais, com a inauguração da Arena Guilherme Paraense, o “Mangueirinho”, um dos maiores e mais modernos ginásios do país.

Projetado para receber 12 mil pessoas sentadas, a obra incluiu a aquisição de modernos equipamentos de informática, piso olímpico constituído de amortecedores de borracha neoprene, que ajudam a reduzir impactos e o risco de lesão dos atletas, cobertura com telhas termoacústicas, placar eletrônico multimídia de última geração e cadeiras antifogo, do mesmo material usado na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, sendo ainda um dos cinco do país completamente refrigerado e com sistema de wifi, com acesso livre.

Além dos esportes indoor, como vôlei, basquete, handebol e futsal, a arena foi projetada para receber diferentes eventos como, por exemplo, shows musicais, já que também dispõe de um palco móvel e edições do Ultimate Fighting Championship (UFC), inclusive tendo uma confirmada para fevereiro.

Em um ano, o Mangueirinho já foi palco de grandes eventos esportivos, como o II Torneio Quatro Nações, que teve a participação da Seleção Brasileira de Handebol Feminino, o amistoso da seleção feminina de vôlei do Brasil contra a República Dominicana e a despedida do pugilista Popó dos ringues. 

A média de eventos, que era de dois por mês, dobrou, fazendo com que o espaço se torne cada vez mais conhecido do público.
Por Heloá Canali - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário