segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Alunos da rede estadual de ensino voltam às aulas

A secretária de Estado de Educação, Ana Claudia Serruya Hage, esteve, na manhã desta segunda-feira, 5, na Escola Estadual Ulysses Guimarães, em Belém, para desejar um feliz início de ano letivo aos alunos da rede estadual de ensino. A Escola foi escolhida pela secretária para representar toda a rede por acumular bons índices de aprovação nos vestibulares do Estado e por estar implantando, com sucesso, o Ensino em Tempo Integral. Neste ano, a Ulysses Guimarães vai contar com cerca de 1.350 estudantes divididos em 18 turmas de Ensino Médio em Tempo Integral (1° e 2° anos) e Regular (3° ano).

A Ulysses Guimarães iniciou o período letivo de 2018 nesta segunda-feira, 5, assim como a maior parte das cerca de mil escolas da rede pública estadual. Apenas uma pequena parcela das escolas – cerca de 20 em todo o Estado – terão o início do ano letivo no próximo dia 19, por conta da greve dos professores realizada no segundo semestre do ano passado.

Essas foram as escolas atingidas parcial ou integralmente pela paralisação.
Neste primeiro dia de aulas, a diretora da Escola, Ângela Silva, recebeu os alunos no pátio da escola, deu-lhes as boas-vindas e conversou com alguns pais e responsáveis.

A professora Ester Sá fez questão de acompanhar o primo César Sá, de 15 anos, ao seu primeiro dia de aula. O rapaz, que concluiu o Ensino Fundamental numa outra escola, disse à família que, no Ensino Médio, gostaria de ter ensino em Tempo Integral. “Nós ficamos até um pouco surpresos com a resolução dele, mas logo decidimos acatar e procurar outra escola. 

Ouvimos coisas muito boas sobre a Ulysses Guimarães e, por isso, hoje, estamos aqui”, contou a professora. “Eu achei que seria melhor pra mim, ter um tempo maior de estudo e já começar a me preparar para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio)”, completou o aluno.

Já a enfermeira Eviane Barbosa estava mais ansiosa que a filha Gabriela Barbosa, de 15 anos. Elas são do município de Rondon do Pará e acabaram de se mudar para Belém, onde Gabriela vai cursar o segundo ano do Ensino Médio. 

“Fomos muito bem acolhidas aqui na escola, a gestão realmente é excelente. Por isso, estamos com muitas expectativas pelo início do ano letivo”, comentou a mãe. “Quero logo começar a estudar em Tempo Integral”, finalizou Gabriela.

Em seguida, já na companhia da secretária Ana Claudia Hage, a diretora e a gestora da Unidade Seduc na Escola (USE) 04, Alini do Socorro, reuniram-se com os professores da instituição. A secretária aproveitou o ensejo para agradecê-los pelo empenho e dedicação prestados à escola no ano passado, materializados pelos excelentes resultados obtidos pelos alunos da escola nos vestibulares dentro e fora do Estado. 

“Hoje, a Ulysses Guimarães está entre as melhores escolas do Estado e isso não se deve apenas ao trabalho da gestão, mas sim, ao trabalho de toda a equipe, o esforço e a dedicação de vocês. São vocês que fazem valer a escola pública, que mostram que o ensino público conta com profissionais compromissados e responsáveis”, ressaltou.

A secretária também fez questão de visitar as salas de aula e conversar com os estudantes. Em uma turma de 1° ano, ela relembrou a sua trajetória como professora do ensino infantil até chegar ao cargo mais alto da educação no Estado. Disse aos alunos que eles podem ser o que quiserem, bastando para isso dedicação e esforço. 

“Mais importante do que a carreira que vocês escolherem é a dedicação para que esse trabalho os faça felizes, para que vocês sejam profissionais realizados”, pontuou.

Numa outra turma, a secretária respondeu algumas dúvidas dos estudantes, sobre o tema merenda escolar. “Estamos trabalhando para que não falte a merenda escolar nas escolas onde a Seduc tem a responsabilidade de fazer a entrega dos gêneros. Contem com o nosso empenho”, destacou.

A secretária Ana Claudia Serruya Hage também destacou aos alunos a importância da preservação do patrimônio escolar, o que inclui não apenas o prédio físico das unidades, mas também carteiras e outros materiais, como quadros magnéticos e livros didáticos. 

“É preciso que todos nós tenhamos orgulho de vestir a camisa da nossa escola e, para isso, precisamos cuidar dela. Vocês podem e devem aproveitar bastante à estrutura da escola, mas também é preciso saber preservar”, frisou.
Por Elck Oliveira - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário