sábado, 17 de fevereiro de 2018

Força-tarefa presta assistência a famílias afetadas pelas enchentes no Estado

As equipes da Defesa Civil do Estado, em parceria com as defesas civis municipais e Exército, continuam atuando nas áreas afetadas pelas cheias na região sudeste do Pará. Durante todo dia ontem sexta-feira (16), os agentes trabalharam na retirada das famílias atingidas pela enchente para locais seguros, entregaram mantimentos e também emitiram alertas para o caso de novas ocorrências. Além disso, o monitoramento de todas as áreas vem sendo feito 24 horas na sala de situação, localizada na sede do Corpo de Bombeiros de Belém, onde satélites mostram as áreas afetadas e onde são acionados os órgãos sobre as ações necessárias.
As famílias desabrigadas já começaram a receber o benefício eventual por meio das secretarias Estadual e Municipal de Assistência Social. Ao todo, sete municípios já decretaram situação de emergência: Marabá, Eldorado do Carajás, Cumaru do Norte, Rio Maria, Bannach, Xinguara e Água Azul do Norte.

O subcomandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel Augusto Lima, explica que as secretarias de Estado vêm trabalhando conjuntamente para atender a população afetada. “Estamos monitorando tudo da sala de situação. A partir daí, todo o trabalho preventivo, de resposta e reconstrução, é feito com as informações que chegam. 

Em caso de eventos adversos, todo o sistema de resposta é acionado, sendo ele municipal, estadual ou até mesmo da União. Somos os responsáveis por avisar todos dos problemas e iniciar as ações”, detalha. A Secretaria de Transportes (Setran) é responsável por recuperar o tráfego em locais afetados. Cinco estradas paraenses foram atingidas com as chuvas. O trabalho está concentrado para manter tráfego fluindo.

No sul e sudeste paraense, a Defesa Civil do Estado atua com o apoio dos efetivos do Corpo de Bombeiros de Marabá, Redenção, Parauapebas e Canaã dos Carajás. Em cada unidade, 12 bombeiros por cada plantão integram a equipe de socorro. Na sala de situação, em Belém, seis técnicos orientam as prefeituras com apoio de representantes da Polícia Militar, Setran, secretarias de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) e de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e Secretaria Extraordinária de Municípios Sustentáveis (Semsu).

Previsão - A Coordenação de Meteorologia e Hidrologia da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) prevê que chuvas deverão dar uma trégua nos próximos dois dias na região afetada pelas enchentes. Os prognósticos para os próximos sete dias apontam redução das chuvas, porém a orientação é para que as famílias ainda não voltem para casa. O rio Tocantins, em Marabá, que apresenta a situação mais preocupante, baixou 11 centímetros até esta sexta-feira.

“Com a redução das chuvas, o nível do rio Itacaiúnas, em Marabá, por exemplo, deve ficar estacionado em dez metros até que as chuvas nas cabeceiras do rio cessem. Tudo isso tem sido ocasionado pelo fenômeno La Niña, que agiu de forma intensa na região central do Brasil e atingiu as principais bacias hidrográficas do Tocantins e do Araguaia, aumentando o nível dos rio nas cidades de Marabá, Parauapebas e Conceição do Araguaia”, explica o coordenador de Meteorologia e Hidrologia da Semas, Saulo Carvalho.

Segundo Saulo, há três anos não chovia tanto nas regiões afetadas. “Tivemos uma diminuição entre 2015 e 2017. Esse ano o cenário mudou. Vieram as chuvas acima do esperado. Vale lembrar que dentro de uma série história dos últimos 50 anos, em apenas nove os rios não atingiram a cota de alerta (correspondente a dez metros)”, esclarece.

Além da sala de situação, o Centro Integrado de Monitoramento Ambiental (Cimam) auxilia no monitoramento do tempo e do clima no Pará, fornecendo informações para outros órgãos que atuam nessa força tarefa. “Essas informações ajudam a diminuir os prejuízos, munindo os órgãos parceiros de informações do monitoramento de desastres naturais hídricos e mantendo contato direto com a Defesa Civil para antecipar os eventos e a mitigação dos impactos nas regiões afetadas”.

Municípios afetados pelas chuvas no Pará: Quatipuru, Rio Maria, Tucuruí, Eldorado dos Carajás, Parauapebas, Santa Maria das Barreiras, Trairão, Água Azul do Norte, Bannach, Cumaru do Norte, Jacareacanga, Marabá, Oriximiná, Rio Maria e Xinguara.
Municípios que decretaram situação de emergência: Marabá, Eldorado do Carajás, Cumaru do Norte, Rio Maria, Bannach, Xinguara e Água Azul do Norte.

(Colaborou Heloá Canali)
Por Márcio Flexa - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário