segunda-feira, 26 de março de 2018

Governo garante cerca de 500 toneladas de pescado para a Semana Santa

A maior oferta de pescado para a Semana Santa promete equilibrar os preços no mercado, nesse período de grande procura pelo produto. É o que garante a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap). Nos dias 28 e 29, em uma ação da secretaria, 68 municípios paraenses vão comercializar 440 toneladas de peixes a preços mais acessíveis à população.

Só na área da Região Metropolitana de Belém (RMB) serão ofertadas 170 toneladas em sete pontos de venda: Fundação Cultural do Pará (FCP) em Batista Campos; Universidade Federal do Pará (UFPA), no Guamá; Universidade do Estado do Pará (Uepa), no Marco; Aldeia Amazônica, na Pedreira; Associação Rural da Pecuária do Pará, no Entroncamento, além do ginásio Almir Gabriel (Abacatão), na Cidade Nova, em Ananindeua e Praça Matriz de Marituba. Outras 270 toneladas serão distribuídas para a comercialização em mais 65 municípios do Estado.

Este ano, o Conselho Estadual de Pesca e Aquicultura (Coepaq) decidiu pedir a suspensão do decreto que há 23 anos proibia a saída do pescado para outras regiões do país. O objetivo é garantir o abastecimento interno para a Semana Santa.

 “A decisão do Coepaq foi baseada na observação dos próprios agentes da cadeia do pescado, de que a cada ano, era maior o número de barcos que buscavam outros portos, como em Amapá e Maranhão, para escoar a produção, o que poderia provocar a escassez no mercado paraense e o aumento do preço”, justifica o secretário adjunto da Sedap e presidente do Coepaq, Afif Jawabri.

Outro fator que influenciou a decisão do conselho foi a mudança na dinâmica do mercado. A partir disso, houve uma diversificação na oferta de produtos, até mesmo pela flexibilidade da Igreja, que passou a permitir aos católicos, o consumo de outros tipos de carnes brancas, como a do frango, por exemplo, na Sexta-Feira Santa.
“A suspensão do decreto é um teste, mas já se observa o aumento de barcos pesqueiros no porto de Belém e acreditamos que não vai faltar peixe”, constatou Jawabri.

Os preços nas feiras do pescado estarão até 20% mais baratos e variam de R$ 5 o quilo (xaréu e sardinha) até R$ 48 o quilo do filé de salmão. Além de uma grande variedade de peixes, serão ofertados ainda pata e massa de caranguejo e camarão rosa. As feiras vão funcionar de 7h às 14h da quarta-feira (28) e quinta-feira (29) para disponibilizar ao consumidor produtos de qualidade e em quantidade suficiente para a Semana Santa.

A proposta do Coepaq é que as feiras de pescado continuem este ano, uma vez por mês, afim de beneficiar não só o consumidor, mas também garantir mercado aos pescadores artesanais, revendedores e a indústria de pesca.
Por Leni Sampaio - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário