terça-feira, 24 de abril de 2018

Indústria do Pará se destaca no crescimento do Produto Interno Bruto da região Norte

Os resultados alcançados pela indústria do Pará em 2017 estão entre os fatores que contribuíram para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Norte, a região que mais cresceu no ano passado, segundo levantamento feito pelo portal Governo do Brasil. A produção industrial paraense teve incremento de 10,1%, com destaque para a indústria extrativa mineral (13,2%) e a produção de produtos de madeira (3,2%). O levantamento se baseou no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que tenta prever o comportamento do PIB nacional antes do resultado oficial ser divulgado.
Com mais produção industrial, também cresceu a movimentação de cargas com exportações e exportações, sobretudo no Aeroporto Internacional de Belém. Somente no primeiro trimestre deste ano, o transporte aéreo desses materiais quase dobrou no Estado. Além disso, o aeroporto se prepara para receber mais empresas aéreas – com a abertura de novos voos internacionais – e aumentar o número de passageiros e de cargas este ano.

“Os resultados obtidos no primeiro trimestre superaram todas as expectativas previstas para o período, indicando a continuidade da tendência de crescimento na movimentação de cargas iniciada ao longo de 2017, principalmente com a conquista de novos clientes nos seguimentos de informática, tecnologia e construção naval”, diz o coordenador de Negócios em Logística de Carga do aeroporto, Emanoel Leite Junior, em entrevista ao portal Governo do Brasil.

O emprego na indústria paraense também deu um salto em 2017. Pesquisa do Departamento Interestadual de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base nos números oficiais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, apontam geração de 1.276 vagas em onze meses de 2017, resultado das 27.745 contratações e 26.469 demissões registradas no período. Entre os Estados da região Norte, o Pará foi o segundo que mais gerou empregos na indústria, à frente de Amazonas, Amapá, Roraima, Tocantins e Acre.

Salto – Enquanto o Brasil cresceu 1% no ano passado, a região Norte avançou 8,23% – um crescimento a ritmo chinês, oito vezes maior que o PIB nacional, segundo o levantamento. Todos os principais ramos e segmentos da economia nortista geraram riqueza para o País, da fabricação de televisores e eletrônicos na Zona Franca de Manaus à extração mineral e vendas no comércio e no setor de serviços.

Respondendo por 3% da indústria do País, o Amazonas apresentou números expressivos. A fabricação de máquinas e equipamentos, por exemplo, cresceu 31,6% no ano passado, enquanto a produção de produtos eletrônicos e materiais de informática, 23,9%. Esse desempenho, entre outros fatores, pode ter sido influenciado pela proximidade da Copa do Mundo e pelo aumento da demanda por televisores e outras telas.

Segundo o portal Governo do Brasil, apenas o Polo Industrial de Manaus registrou faturamento de R$ 81 bilhões no ano passado, valor 9,41% maior que o registrado em 2016. A Superintendência da Zona Franca de Manaus aponta que a melhora observada significa uma recuperação das empresas da área, que desde 2014 vinham registrando redução no faturamento. As exportações do polo também cresceram em 2017, alta de 6,54%. (Com informações do portal Governo do Brasil)
Por Luiz Carlos Santos - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário