segunda-feira, 9 de abril de 2018

Isac marca, Vinícius brilha, Remo vence de novo do Papão e é campeão

Se o futebol paraense é representado pelos titãs, Remo e Paysandu, pode-se dizer que 2018 foi azul marinho na terra do açaí. Após ter vencido os três jogos anteriores no campeonato paraense, o Leão derrubou o Bicola mais uma vez na finalíssima do estadual e conquistou o seu 45º título local na história. A partida foi realizada às 16h de ontem domingo (8), no Mangueirão, em Belém. Assim como nos demais clássicos do ano, o Paysandu teve a bola no pé por mais tempo, mas faltou objetividade para alterar o placar. No entanto, aos 27 minutos, Marcão cometeu um pênalti em Felipe Marques e viu Isac fazer, mais uma vez, o único gol do clássico.

 Saiba como foi a partida lance a lance pelo Portal ORM!

O Leão se segurou até os 51 minutos do segundo tempo, quando o árbitro FIFA Anderson Daronco soprou o apito final e presenciou a festa azulina no Mangueirão. Foi o 45º título paraense do Clube de Periçá.

1º tempo: Paysandu ataca e Remo é quem faz
O primeiro tempo do 745º Re-Pa da história foi uma tônica do que ocorreu nos últimos três deste ano: o Paysandu teve mais posse de bola e o Remo foi quem conseguiu sair ganhando. Pela necessidade de vencer por dois gols de diferença, o Paysandu se lançou e conseguiu a primeira boa finalização aos três minutos, quando Walter arriscou cruzado e viu Vinícius espalmar. Aos seis, a resposta azulina foi a partir de uma saída errada de Marcão, mas Diego Ivo tirou a redonda de dentro da área antes da chegada de Elielton.

Aos 21, Pedro Carmona arriscou da entrada da área e Vinícius mostrou estilo para segurar com firmeza. Três minutos mais tarde, foi a vez de Cassiano ser parado pelo camisa 1 do Leão. Aos 26, porém, Felipe Marques foi parado por Marcão no corpo e dentro da área. O árbito FIFA, Anderson Daronco, assinalou a penalidade e Isac converteu para abrir o placar no Mangueirão. A partir de então, o Paysandu tentou de todas as formas, mas não conseguiu nem assustar a meta defendida por Vinícius.

2º tempo: Vinícius se agiganta e assegura título remista
O Papão voltou com duas substituições ofensivas e até conseguiu melhorar o rendimento ofensivo, mas parou nas luvas do goleiro Vinícius, que esbanjava frieza e segurança em intervenções.

Os chutes de fora da área e os cabeceios do Bicola continuavam sem resultado, mas um dos reflexos foi a exposição da equipe aos conta-ataques remistas. Em um deles, Felipe Marques disputou com Edimar na velocidade, entrou na área e o zagueiro bicolor, ao tentar cortar, deu um passe para Adenílson sozinho dentro da área. O camisa 10 mergulhou e testou de peixinho, mas sem força alguma. Marcão defendeu tranquilo.

Do outro lado do campo, seguia a saga do Papão em tentar vencer Vinícius. Moisés desviou de cabeça e jogou rente à trave azulina. Diego Ivo cabeceou com categoria um cruzamento de Danilo Pires e o goleiro remista jogou para fora.

Aos 37, Moisés recebeu na área, driblou a marcação e chutou no cantinho para outra intervenção do camisa 1. Aos 45, Danilo Pires tentou de cabeça e Vinícius saltou para encaixar. 

No finalzinho, já sobe gritos de 'É campeão!' o Remo saiu em contra-ataque. Eram três jogadores remistas contra um defensor bicolor. Levy disparou com a redonda pela direita e tocou para Jayme, sozinho na área, só completar para o gol, mas o atacante do Leão fez o inacreditável e chutou por cima da trave. Nada que atrapalhasse a festa remista.

Ficha técnica (Remo 1 x 0 Paysandu)

Paysandu - Marcão; Matheus Silva (Moisés), Diego Ivo, Edimar e Mateus Müller; Willyam (Danilo Pires), Nando Carandina e Pedro Carmona; Mike (Peu), Walter e Cassiano. Técnico: Dado Cavalcanti

Remo - Vinícius; Levy, Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Dudu, Felipe Recife (Fernandes) e Adenílson; Elielton (Jayme), Felipe Marques (Rodriguinho) e Isac. Técnico: Givanildo Oliveira

Gols: Isac 27'/1ºT (Remo)
Cartões amarelos: Adenílson (Remo); Mateus Müller (Paysandu)

Local: Mangueirão (Belém/PA)
Data: 08/04
Hora: 16h
Árbitro: Anderson Daronco (FIFA/RS)
Assistente: Alessandro Alvaro de Matos (FIFA/BA) e Guilherme Dias Camilo (FIFA/MG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário