coluna 3

Coluna 2

Coluna 1

sábado, 7 de abril de 2018

Pará ultrapassa R$ 700 milhões em investimentos na rede de saúde

O Dia Mundial da Saúde, comemorado neste sábado (7), tem como tema central “Saúde para Todos”, exatamente a meta almejada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) durante os seus 70 anos de existência, e o que preconiza o Sistema Único de Saúde (SUS), assegurado pela Constituição federal há 30 anos. A data, instituída pela OMS em 1948, visa conscientizar as pessoas sobre a importância da preservação da saúde para ter melhor qualidade de vida, além de discutir um tema específico, que representa uma prioridade na agenda internacional da OMS.
Sintonizado com o tema “Saúde para Todos”, e com base na gestão tripartite do SUS, o Governo do Pará tem feito a sua parte na manutenção da rede de saúde pública. Além de desenvolver a promoção e proteção da saúde, por meio de ações educativas, como no combate às endemias que afetam a população na Amazônia, o Estado investe maciçamente na área de recuperação da saúde, com a construção de hospitais e implantação de novos serviços.

Investimentos – Com as obras de construção, requalificação e ampliações dos hospitais regionais, que devem ser concluídas até o final do ano, a rede pública estadual de saúde vai contar com 765 novos leitos de internação. Somados aos já entregues nos últimos sete anos, o Estado vai ofertar 1.806 leitos de internação ampliados em várias regiões.

Ainda para 2018, o governo estadual prevê a finalização das obras dos hospitais municipais que estão sendo requalificados e equipados com recursos exclusivos do Tesouro do Estado, nos municípios de Abaetetuba, São Caetano de Odivelas, Concórdia do Pará, Mojuí dos Campos, Jacareacanga, Salvaterra, Novo Progresso, Garrafão do Norte e Ipixuna do Pará.

Há previsão também de entrega de quatro novos hospitais estaduais, que estão em diferentes fases de construção - os regionais de Itaituba; o Abelardo Santos (no Distrito de Icoaraci, em Belém); de Castanhal e o Hospital Materno-infantil de Capanema, que atenderá cerca de 500 gestantes ao mês, inclusive com referência em gravidez de alto risco. 

Paralelamente, o Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP), em Marabá, passa por reforma e ampliação para ofertar serviços de hemodiálise e hemodinâmica, dispor de mais 30 leitos e criar salas multiuso para ensino – incluindo residência médica. O Hospital Materno-infantil de Barcarena está em fase de construção.

"O investimento somente nestas obras representa R$ 714 milhões. Além disso, serão investidos mais R$ 187 milhões em equipamentos para estas novas unidades. Poucos estados neste País estão fazendo tanto pela área da saúde quanto o Pará, para ofertar serviços à população. Isso é um marco histórico para a rede hospitalar paraense diante do cenário econômico atual que vive o Brasil", destacou o secretário de Estado de Saúde Pública, Vitor Mateus.

Inclusão e reabilitação - A rede de assistência em saúde também será fortalecida com a inauguração do primeiro Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) do Brasil, que ofertará serviços de assistência médica, odontológica, reabilitação, capacitação e oficinas para produção de próteses. 

O Centro incluirá atendimento para deficiência visual, auditiva, intelectual e física; Oficina Ortopédica com dispensação, confecção, manutenção, ajustes de ósteses e próteses, e meios auxiliares de locomoção, ocular e auditiva. O complexo de reabilitação está instalado em uma área com mais de 40 mil metros quadrados, à beira da Baía do Guajará, em Belém. Assim, a população ribeirinha terá facilidade de acesso ao atendimento no CIIR.

Para o Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, está programada a ampliação dos serviços de hemodiálise com 40 máquinas. "Esse é outro ponto de extrema relevância, pois estamos proporcionando várias aberturas de vagas para hemodiálise no Estado. Seja no setor público ou privado temos parcerias que ampliam este serviço, que também é prioridade", reforçou Vitor Mateus.

De acordo com a Sespa, no município de Capanema, no nordeste paraense, 20 máquinas começaram a funcionar em parceria com um hospital privado, e em Castanhal foram inauguradas recentemente 67 máquinas, concentradas em um espaço de grande porte. 

Também serão iniciadas obras para ampliação em Abaetetuba e viabilizado um projeto em Tucuruí para a instalação do serviço de hemodiálise, em parceria com a Eletronorte. Esses serviços devem começar a funcionar ainda este ano.

Oncologia – Na área da oncologia infanto-juvenil, a população tem como referência o Hospital Oncológico Infantil Octavio Lobo inaugurado em Belém, em 2015, com 79 leitos e mais 10 de UTI para tratamento do câncer em crianças e jovens.

Já em 2016, o Governo do Pará inaugurou a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) Dr. Vitor Moutinho, em Tucuruí, no sudeste. A Unacon atende demandas referentes ao tratamento e prevenção do câncer nas regiões do Lago de Tucuruí. Ainda nesta especialidade, serão ampliados os serviços de quimioterapia, centro cirúrgico e ala de internação para tratamento de câncer no Hospital Regional de Santarém.

Responsabilidade - De acordo com a OMS, a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. De acordo com o artigo 196 da Constituição brasileira, “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.

No entanto, hoje a saúde também é responsabilidade de cada indivíduo, pois consumir alimentos industrializados exageradamente e não praticar atividade física, por exemplo, contribuem para o surgimento de doenças crônicas, como obesidade, câncer e diabetes, assim como dirigir alcoolizado está na lista dos comportamentos de risco, que são decisivos para mudar a vida de uma pessoa. A saúde é responsabilidade de cada cidadão e de diversos segmentos do Poder Público. (Com a colaboração de Edna Lima e Carla Fischer).
Por Roberta Vilanova - Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário