coluna 3

Coluna 2

Coluna 1

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Alcoa celebra mês do meio ambiente reafirmando compromisso com monitoramento e conservação dos recursos naturais em Juruti

Além de verificar a qualidade da água, ar, clima, ruído e solo, mais de 1360 espécies da fauna e cerca de 180 espécies da flora amazônica são monitoradas pela Alcoa em Juruti. No mês dedicado ao meio ambiente, a Alcoa reafirma o compromisso de realizar rigorosamente as ações de monitoramento e conservação dos recursos naturais nas áreas de influência do empreendimento de mineração de bauxita da empresa. Além de garantir o atendimento das operações às exigências das normas ambientais o monitoramento ambiental gera dados essenciais para promover a conservação ambiental e a recuperação das áreas após a mineração. 
 O sistema de monitoramento ganhou evidência nas comemorações deste mês na Alcoa Juruti, com exposições de cartazes educativos, exibições do cinema ambiental e apresentações teatrais de sensibilização nos refeitórios da empresa.
O monitoramento ambiental da Alcoa compreende um conjunto de medições, observações e pesquisas realizadas em campo, de modo frequente, por profissionais especializados e com o uso de equipamentos e métodos próprios para a verificação da água, solo, ar, clima, ruído, fauna e flora. 
“Este monitoramento é fundamental para termos indicadores de comparação do ambiente antes e sob influência das atividades de mineração, que além de assegurar o cumprimento das normas ambientais, irão gerar dados técnicos de valor científico para pesquisas de aprimoramento pela conservação ambiental na Amazônia”, comenta Jorgeane Almeida, supervisora de Meio Ambiente da Alcoa Juruti. Os resultados dos monitoramentos são compartilhados periodicamente com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS), órgão responsável pelo licenciamento ambiental do empreendimento.
Ainda na fase de pré-instalação da Alcoa em Juruti, em 2002, a empresa iniciou o monitoramento de fauna, que já permitiu identificar 107 tipos de répteis, 494 espécies de aves, 214 de aranhas, 417 de peixes, 55 de anfíbios e 81 de mamíferos, totalizando mais de 1360 espécies da fauna amazônica. O monitoramento é feito semestralmente (em período de inverno e verão), em 67 pontos distribuídos em áreas próximas da mina e em localidades mais afastadas, num raio de 60 quilômetros, considerados de influência direta e indireta. 
“O objetivo é ver como essa população vem se comportando nesse ambiente de influência da empresa. Avaliamos se existe alguma variação, a ocorrência de espécies endêmicas (que só ocorrem aqui) e ameaçadas, e atuamos na conservação”, esclarece a engenheira florestal, Susiele Tavares, responsável pelo programa de Conservação de Fauna e Flora da Alcoa Juruti.
Araras
A consciência ambiental não se limita à equipe de Meio Ambiente da empresa, estendendo-se a outras áreas, como operação de mina e geologia, que desviaram os planos de lavra para manutenção de uma árvore para aguardar o voo dos filhotes de um casal de araras azuis, espécie vulnerável à extinção, e dois casais de araras vermelhas. “Aguardamos por meses e eles não voaram. Então a operação da mina reavaliou a situação e resolveu fazer o desvio da lavra. As aves estão lá na árvore até hoje e contam com o monitoramento ambiental da empresa”, conta Thiago Celso, supervisor de Mineração da Alcoa Juruti.
A atividade de supressão vegetal da Alcoa é antecedida por etapas que asseguram a preservação da memória cultural e a conservação ambiental da área que passará por mineração. Equipes de arqueólogos realizam estudos para verificar se há vestígios de civilizações antigas e, quando identificados, os mesmos são resgatados e catalogados em conformidade com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). 
  Este conhecimento é transmitido à comunidade de Juruti por meio de programa de Educação Patrimonial. Também são realizados levantamentos detalhados da flora para subsidiar o reflorestamento da área após a mineração. Os animais, por sua vez, são afugentados ou resgatados antes do desmatamento, reduzindo o impacto da atividade.
O gerente de Relações Institucionais da Alcoa Juruti, Rogério Ribas, diz que para a mineradora, o meio ambiente ultrapassa a linha das comemorações em datas específicas e demonstra que crescimento econômico e desenvolvimento social estão totalmente interligados com o uso sustentável dos recursos naturais. “Diariamente temos comprovado que a atividade mineral pode ocorrer de forma sustentável, buscando a eficiência ambiental, o respeito às comunidades e trazendo técnicas inovadoras nas operações”, destaca.
Sobre a Alcoa no Brasil
A Alcoa opera no Brasil em cinco das seis unidades de negócios da Alcoa Corporation: Bauxita, Alumina, Alumínio, Fundição e Energia. A estratégia de transformação da companhia busca ampliar seus negócios na cadeia de valor do alumínio e criar operações na área de commodities globalmente competitivas. A Alcoa emprega localmente cerca de 2.300 pessoas e possui três unidades produtivas, em Minas Gerais, Maranhão e Pará, além de escritórios em São Paulo, Belém e no Distrito Federal. A companhia também é acionista da Mineração Rio do Norte (MRN) e de quatro usinas hidrelétricas: 
 Machadinho, Barra Grande, Serra do Facão e Estreito. Foi escolhida pela oitava vez como uma das empresas-modelo pelo Guia Exame de Sustentabilidade. Também foi reconhecida pela 13ª vez como uma das Melhores Empresas para Trabalhar, de acordo com o Great Place to Work Institute; e uma das Melhores Empresas Para Começar a Carreira, segundo o Guia Você S/A. Para mais informações, visite www.alcoa.com.br e siga @Alcoa no Twitter em twitter.com/AlcoaBrasil e no Facebook em facebook.com/AlcoaBrasil.
CONTATOS
Alcoa
Silvia Fujiyoshi
Comunicação | Alcoa Juruti
Cel 93 98112 4433 - silvia.fujiyoshi@alcoa.com.br
AMG - Santarém
José Ibanes
Relações com a Imprensa| Alcoa Juruti
Cel 93 992101756 - joseibanes@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário