segunda-feira, 11 de junho de 2018

Celpa incentiva família a preservar o meio ambiente


 Graças ao Ecocelpa a tarefa de separar resíduos sólidos voltou a ser rotina na casa do professor Juarez
É do planalto Santareno que todos os meses são transportados vários quilos de resíduos sólidos, a maioria composto por embalagens plásticas, para o posto do Ecocelpa que funciona na parte central do município de Santarém. A entrega é feita por uma família paranaense que escolheu o município para fixar residência e desde março desenvolve uma nova rotina dentro de casa.
A lição de separar os resíduos produzido no dia a dia, é feita desde criança pelo casal Juarez e Giovana Souza, que hoje são professores universitários. Ele, inclusive, dirige uma universidade particular em Santarém. As filhas, uma de 8 e outra de 5 anos, seguem o mesmo hábito, orientadas de perto pela mãe Giovana. Ela ajuda também a multiplicar os ensinamentos dentro e fora de casa.

 Duas funcionárias da casa contribuem no processo de separação e da limpeza dos resíduos. “A cada 15 dias, a gente junta, limpa e separa com o apoio das crianças que já são especialistas no assunto. Elas aproveitam para colocar em prática o que aprenderam na escola e fazem tudo com alegria porque a gente ensina que isso é importante não apenas para nós, mas para toda a população”, reforça a professora.
 
Atualmente, o Ecocelpa possui 1.228 clientes no município que, assim como a família de Juarez, fazem a coleta seletiva dos resíduos. O papel lidera no índice de arrecadação, com quase 6 mil quilos. Em seguida aparece o plástico, com mais de 800 quilos. Metal, óleo de cozinha e tetra pak, também estão na lista de material recolhido no posto e enviado para uma empresa de reciclagem, em Belém. 

“O volume de lixo produzido dentro de casa e a quantidade descartada sem nenhum controle, incomodava muito, porque era um descarte de resíduo comum, mas voltamos com o velho costume de separar o que vai para a lixeira e o que vai para o Ecocelpa”, comemora Juarez.
 
O funcionamento do posto tem contribuído para a diminuição da poluição dos solos e dos rios e também para o desenvolvimento sustentável do município. O professor lamenta, no entanto, que grande parte da população ainda dê pouca importância para a coleta seletiva. 

A expectativa, é que aos poucos essa cultura seja transformada. “Em casa a gente tem placa solar, portanto, não é pela redução no valor da conta de energia, oferecida pela Celpa, é pelo meio ambiente, pela harmonia com a natureza”, ratifica Juarez
 
O Ecocelpa já tem 15 postos em todo o Estado. Na Região Metropolitana de Belém são 11 pontos de coleta. Além de Santarém, também está presente em Castanhal, Marabá e Altamira. O diferencial da ação é a possibilidade de fazer a troca dos resíduos recicláveis por descontos na conta de energia elétrica
 
O MEIO AMBIENTE AGRADECE - Em atividade há mais de três anos, o projeto já conseguiu coletar mais de cinco mil toneladas de resíduos recicláveis. Essa quantidade significa cerca de 12,6 mil toneladas capturadas de gás carbônico, substância altamente nociva ao meio ambiente. 

Essa contagem também representa uma economia de aproximadamente 24,7 mil MWh (megawatt) de energia elétrica. Pois para cada tipo de material reciclado, tem-se uma economia energética, devido ao seu reprocessamento e a não retirada direta das matérias primas na natureza.
 
A população pode levar até os postos materiais como embalagens tetra pack, metais, papeis, entre outros. Esses resíduos se jogados no solo, levam muito tempo para serem absorvidos, como é o caso das latas de alumínio, que podem levar de 100 a 200 anos. As embalagens de plástico demoram mais de 100 anos.
 
Núbia Pereira
Analista de Comunicação | Temple Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário