sexta-feira, 29 de junho de 2018

Devoção nazarena chega a São Paulo

Imagem peregrina chega à cidade para abertura de exposição. Pela primeira vez a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi levada a São Paulo, onde ficará até o próximo domingo (1º) junto com uma exposição especial sobre o Círio de Nazaré montada no Museu de Arte Sacra da cidade. A padroeira dos paraenses foi recebida com honras no início da tarde de ontem e foi levada até à Catedral da Sé, onde foi celebrada missa, que contou também com a participação da cantora Fafá de Belém, que cantou as tradicionais músicas que animam a festividade na capital paraense.
O Museu de Arte Sacra de São Paulo recebe até domingo a mostra fotográfica “Guarda o Círio de Nazaré”, da paulista Soraya Montanheiro. A imagem foi acompanhada por uma comitiva de 90 pessoas, entre integrantes da diretoria da festividade, guardas de Nazaré e familiares. Ela permanecerá quatro dias no museu.

Os guardas são homenageados na exposição, que tem a curadoria de Juan Esteves, e também no livro homônio que reúne fotografias da exposição e textos de Juan, pela editora Origem, de São Paulo. A exposição e o livro são resultado de um projeto de cinco anos em que Soraya viajou a Belém para registrar a maior manifestação de fé dos paraenses, bem como as viagens da imagem peregrina pelas regiões do Marajó e do Baixo Amazonas, além do Maranhão, Rio de Janeiro e São José do Rio Preto, em São Paulo.

“Fui a Belém cobrir o Círio, como fotógrafa autoral, pela primeira vez, em 2013. Eu não fazia ideia do que ia enfrentar. Porque tudo acontece ao mesmo tempo, é uma festa imensa. Quando voltei a São Paulo, emiti o material a diversos professores e colegas, que falaram que eu estava com o material muito bacana. 

Havia muitas fotos da Guarda de Nazaré. Eu não fazia ideia de quem eram esses homens uniformizados. Eu tinha um material muito grande deles. Retornei a Belém em dezembro de 2013 para doar esse material fotográfico a eles e fui procurar saber quem eles eram. 

Na reunião surgiu a ideia de fazer um livro sobre a Guarda de Nazaré. Pesquisei e descobri que não havia material histórico sobre eles”, narra Soraya. Ela descobriu que o trabalho dos guardas consiste não apenas reforçar a segurança no Círio, mas também nas peregrinações da imagem e na evangelização. 

“O livro ‘Guarda o Círio de Nazaré’ mostra o trabalho da guarda, desde a limpeza do Santuário de Nazaré e a descida da imagem original do Glória. Eles me deram a oportunidade de estar (para fotografar) onde poucas pessoas têm acesso. O lançamento do livro acontecerá no próximo sábado, 30, no MAS-SP.

A atração da fotógrafa pelo Círio de Nazaré vai além da fé católica e da curiosidade. Ela ficou fascinada pela ação da Guarda do Círio, evidenciada na organização dos cortejos. “A Guarda da Nossa Senhora de Nazaré é composta por 2 mil voluntários, que acompanham a imagem e trabalham por dias consecutivos durante os festejos do Círio e pelas cidades em que a imagem é levada.

 O objetivo do meu trabalho é o registro e pesquisa da atividade desses homens da Guarda de Nazaré”, explica. O trabalho dela é baseado na cobertura das procissões em Belém e nos deslocamentos da imagem peregrina, documentando a fé do povo do Pará. 

“Estas fotografias, que contornam a inefabilidade, nos trazem a certeza na percepção de que a manifestação perene dos devotos, expressa no culto a Nossa Senhora de Nazaré, nos conduz ao pensamento mais complexo e duradouro da fé cristã no Ocidente”, descreve o curador. (ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário