terça-feira, 19 de junho de 2018

Feira Internacional de Transporte começa nesta terça e apresenta cenário de oportunidades no Pará

O Governo do Estado está investindo mais de 500 milhões de reais em obras para melhorar as condições de mobilidade e trazer mais comodidade e segurança aos moradores dos municípios por onde passam as rodovias estaduais. Todo este investimento e suas finalidades estão na pauta do VII Congresso e Feira Internacional de Transporte e Logística Sustentável da Amazônia – Trans 2018, que começa nesta terça-feira (19) e vai até o dia 21 de junho, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.
O evento é promovido pelo Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação do Estado do Pará (Sindarpa), que objetiva apresentar ao mercado investidor um cenário de oportunidades na região. Para otimizar a aplicação dos recursos, a Secretaria de Estado de Transportes (Setran) criou três projetos para investir o montante de verba direcionada à malha viária: Manutenção Integral, Asfalto na Estrada e Pontes Concretas.

“Com o passar dos anos, a característica da malha viária do Estado mudou. Hoje, o número de carretas que trafegam por elas aumentou muito, assim como o peso da carga, o que vem inviabilizando o uso de pontes de madeira, algo muito presente no Pará. 

O que vinha ocorrendo era a quebra dessas pontes e, consequentemente, o bloqueio de estradas, causando enormes prejuízos à população, aos trabalhadores e a todo o sistema que precisa das estradas. Por isso, optamos por dar prioridade às pontes”, explica o secretário Kleber Menezes, titular da Setran.

Ferrovia Paraense - Outro projeto que será destaque na pauta do Trans 2018 é o da Ferrovia Paraense, estudada desde 2015, e mais fortemente em 2017, após a conclusão e aprovação do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), com licenciamento ambiental sob análise da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

De acordo com Eduardo Leão, titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), trata-se de um projeto de uma ferrovia pública estadual para o transporte de passageiros e cargas com o objetivo de integrar o Estado e maximizar o desenvolvimento socioeconômico. “Um projeto inédito e estratégico com reflexos imediatos em toda cadeia logística nacional”, destacou o secretário.

Turismo – O investimento em melhoria do transporte fluvial foi responsável pelo aumento do fluxo turístico para a maior ilha fluviomarítima do mundo. Entre estes investimentos está a construção do Novo Terminal Hidroviário de Belém, inaugurado em 2014, considerado um dos mais modernos do Brasil, com capacidade para atender, em média, a 1,5 milhão de pessoas por ano. A partir daí, foram criadas novas linhas que utilizam lanchas rápidas, com mais conforto e segurança, diminuindo o tempo de viagem para o Marajó, além de criar um novo padrão de transporte para a região.

A pavimentação da PA-154 também colaborou para a estruturação da Rota do Queijo do Marajó, facilitando o escoamento da produção dos municípios de Soure, Salvaterra e Cachoeira do Arari, que possuem queijarias devidamente cadastradas, registradas e certificadas, em ação conjunta executada pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará). A Rota Turística Belém-Bragança também recebeu investimentos estaduais na recuperação das pontes do trem e na pavimentação da PA-242, que liga Igarapé-Açu a Capanema.

Mobilidade Urbana – Todo o investimento na RMB faz parte do projeto de desenvolvimento urbano Ação Metrópole, que inclui, ainda, a requalificação e transformação da Rodovia BR-316 em uma avenida moderna, com três faixas de rolagem nos dois sentidos, pavimento flexível, duas ciclovias bidirecionais, gramado próximo à ciclovia para arborização, dois passeios para circulação de pedestres com 2,5m de largura, faixa de piso tátil e rampas de acessibilidade, de acordo com a legislação vigente, além de mobiliário urbano (bancos, lixeiras e abrigos em paradas de ônibus convencionais).

O projeto prevê também o remanejamento de diversas interferências para realização do conjunto de obras, incluindo demolições, retiradas, relocações, reinstalações e requalificação de vias e calçadas, representando um investimento de R$ 525 milhões, enquanto parte de um sistema de mobilidade urbana que funcionará integrado a outros projetos executados pelo governo estadual.

“Esse grande projeto de mobilidade urbana trará uma nova realidade para a Região Metropolitana e, claro, trará mais conforto, segurança e qualidade de vida para a população. E futuramente, como vem acontecendo em diversas metrópoles, teremos condições de realizar apenas ampliações, melhoramentos e adequações de sistemas tipo BRT”, avalia o diretor geral do NGTM, Cesar Meira.

Estes e outros investimentos serão apresentados pela equipe do Governo Estadual durante o VII Congresso Internacional de Transporte e Logística Sustentável da Amazônia, dia 20 de junho, a partir de 10h, durante o Painel Governamental, que contará com a participação da Arcon, CPH, NGTM, Detran, Setur e Setran. O secretário de Transportes, Kleber Menezes, fará a apresentação, ainda, da infraestrutura viária do Estado e sua conexão com os corredores de exportação, às 10h30.

Dez órgãos estaduais estarão representados no estande do Governo do Pará na VII Feira Internacional de Transporte e Logística – Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia; Secretaria de Comunicação; Secretaria de Turismo; Secretaria de Transportes; Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos; Companhia de Portos e Hidrovias; Núcleo de Gerenciamento de Transportes Metropolitanos; Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará; Departamento de Trânsito e Batalhão de Polícia Rodoviária.

O estande do Governo do Estado na Feira Internacional funcionará de 18h às 22h no dia da Abertura do evento, 19 de junho, e de 14h às 22h nos dias 20 e 21 de junho.
Por Márcio Flexa = Agência Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário