terça-feira, 3 de julho de 2018

Segup dá dicas para preservar residências de roubos nas férias

Moradores devem se preparar antes das férias escolares. Com o esvaziamento da cidade, há um aumento do número de roubos a residências. O alerta é da própria Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). As polícias Civil e Militar, mesmo em rondas e plantões, não conseguem estar em todos os lugares o tempo todo. Há recomendações que podem ajudar a reduzir esse risco de sair de viagem e encontrar o imóvel arrombado e com uma série de bens a menos. Em todas as dicas, vale o que o artigo 144 da Constituição Federal diz: a segurança pública é dever do Estado e é direito e responsabilidade de todos.
O secretário adjunto de Gestão Operacional da Segup, coronel André Cunha, ressalta que há reforço de 248 policiais militares em Belém. Isso garante rondas mais frequentes. São uma forma de prevenir os furtos e roubos a residências. Esse tipo de crime costuma aumentar de frequência durante o veraneio.

“O ideal é: antes de viajar, avisar um vizinho de confiança para que, se houver alguma movimentação estranha, acione a polícia imediatamente”, diz o coronel André.

Outra dica da Segup é deixar alguém com as chaves da casa. Essa pessoa deve ligar ou desligar as luzes, medida eficiente, mas só se alguém desligar de manhã e ligar à noite. Em comunidades mais unidas e conscientes do dever coletivo de zelar pela segurança pública, esse tipo de medida funciona. 

Se alguém vir algum movimento incomum, imediatamente deve ligar para o oficial interativo da área ou ligar para o 190 ou 181 (Disque-Denúncia, no qual não é preciso se identificar).

Serviços de vigilância de bairro, como vigilantes ciclistas, ajudam a “espantar” criminosos. Comunidades que ainda não possuem tal serviço podem fazer de maneira voluntária ou com um rateio de despesas. Hilton ainda destaca que o mercado de equipamentos de segurança ou vigilância ampliou e tem muitas opções de baixo custo que podem ajudar a manter a casa segura, não apenas num período de viagem, mas pelo ano todo. A pesquisa pode até revelar serviços temporários visando a essa demanda de final de ano.

Antes de viajar é importante não espalhar que vai viajar. Pessoas mal-intencionadas podem ouvir. E na hora de se arrumar para a viagem, nada de passar horas guardando coisas no carro no meio da rua. Já denuncia que aquela casa ficará vazia. (O Liberal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário