quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Paysandu é atropelado pela Ponte Preta na Curuzu e fica no radar da zona de queda

Ao deixar o gramado, Pedro Carmona resumiu a noite de ontem terça-feira (7) para o Paysandu: 'Uma tragédia!'. A derrota pelo espantoso placar de 4 a 0 para a Ponte Preta em plena Curuzu, em Belém, foi classificada pelo meia como "um jogo para esquecer". O resultado, porém, ficou gravado na 20ª rodada da Série B do campeonato brasileiro.

O Paysandu começou bem e teve chance de abrir o placar em duas faltas de Carmona, mas viu o volante Nathan acertar um chute colocado de fora da área e abrir o placar ainda aos 17 minutos da etapa inicial. Aos 34, Junior Santos recebeu passe dentro da área e ampliou para os visitantes. Na volta do intervalo, a Macaca foi ainda mais precoce e chegou ao terceiro gol com Junior Santos, aos quatro minutos. Já aos 16, Hyuri foi acionado dentro da área e teve tempo de dominar, olhar para o goleiro, conferir se estava em posição regular com o 'bandeirinha' e fechar o placar.

Saiba como foi a partida lance a lance aqui!

Sob vaias e cânticos da torcida como 'Vergonha, vergonha, vergonha... time sem vergonha', o Papão ficou estacionado na 11ª colocação, mas sob alto risco de se aproximar da zona de rebaixamento, haja vista que esta rodada só será finalizada no sábado (11) e a distância para os inquilinos da área do desespero da tabela é de apenas quatro pontos. A Ponte, por sua vez, foi à sexta colocação, com 29 pontos.

Tendo como base o dito popular de 'Há males que vêm para o bem', o Paysandu terá tempo para arrumar a casa, deixar Belém e visitar o Londrina, em Londrina (PR), às 19h15 desta sexta-feira (17), no estádio do Café. Empolgada e firme na luta para entrar no G4, a Ponte receberá o Criciúma, às 21h30 da terça-feira (14), no Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

1º tempo: Paysandu nervoso e Ponte Preta eficaz

Como rege a cartilha, os donos da casa se jogaram ao ataque. O Paysandu, portanto, foi o primeiro a assustar. Aos seis minutos, Pedro Carmona cobrou falta da esquerda, que beirou a perfeição e também o ângulo esquerdo do goleiro Ivan. Aos 12, a cobrança foi da direita e Carmona novamente foi perigoso, mas ficou no quase.

Aliás, o 'quase' acompanhou o Bicola em todo o primeiro tempo. Aos 15 minutos, Renato Augusto foi para a área e cabeceou cruzamento levantado por Pedro Carmona na trave direita da Macaca, que respondeu com exatidão. Em sobra da zaga após escanteio, o volante Nathan experimentou de fora da área e, aos 17, mandou no cantinho de Renan Rocha. Foi o primeiro gol do jogador na competição!

No minuto seguinte, o 'pilhado' Paysandu tentou com Thomaz, que entrou na área após passar por dois marcadores com um único toque na bola e soltou um torpedo tão forte, quanto sem direção. Aos 22, Pedro Carmona colocou bola na área, contou com o desvio contra do zagueiro Renan Fonseca e lamentou a boa defesa do goleiro Ivan. Aos 26, novo levantamento de Carmona encontrou a testa de Diego Ivo. O zagueiro estava na pequena área, mas foi atrapalhado pela 'furada' de Nathan e cabeceou para o chão. A bola bateu no gramado e encobriu o travessão campineiro.

A Ponte voltou a aparecer com perigo. Aos 27, Junior Santos entrou na área, limpou Diego Ivo e rolou para Danilo Barcelos, que, sozinho, bateu mal na bola e a isolou. No minuto seguinte, o mesmo Danilo Barcelos entrou na área pela esquerda e rolou para a chegada de Junior Santos, mas Edimar cortou de carrinho.

Edimar ainda teve a chance de fazer bonito no ataque. Foi aos 33, quando ele testou o cruzamento de Carmona pela linha de fundo e a poucos centímetros da trave de Ivan. Mas, aos 34, Edimar acabou sendo um dos jogadores do Papão vencidos por Hyuri. O atacante entrou na área do Papão e rolou para Junior Santos chutar para a rede e ampliar o marcador. No finalzinho, enquanto o Paysandu já vestia a carapuça do desespero, a Macaca ficou muito perto de golear. André Luís tocou de letra para Igor, que lançou Hyuri na área. O atacante dominou sozinho e bateu por cima do gol.

2º tempo: Macaca amplia e Papão cai de vez

Início do segundo tempo e, com extrema facilidade, Danilo Barcelos saiu pela esquerda e colocou na área para a antecipação de Junior Santos, que desviou a bola de cabeça para a rede. O gol ainda não tinha sido o suficiente para calar a torcida, mas foi capaz de murchar ainda mais os comandados do técnico Guilherme Alves. 

Aos 16, o golpe fatal da Macaca. Danilo Barcelos colocou a bola na área e a zaga cortou mal. A bola sobrou limpa para o atacante Hyuri na entrada da pequena área. O jogador dominou e não sofreu qualquer pressão por parte da marcação bicolor. Estava tão tranquilo que ele até olhou para a arbitragem para saber se a jogada estava regular. Ao perceber que tudo estava valendo, ele bateu na saída de Renan Rocha para fazer o quarto da Ponte.
Sem brio e qualquer sinal de reação, o Paysandu mostrava mais vontade de ouvir o apito final do que a própria Ponte, que vencia tranquilamente. O quinto gol campineiro ficou muito perto de ocorrer. Aos 25, Pedro Carmona não afastou uma bola na área de defesa e a deixou no pé do zagueiro Reginaldo, que dominou e errou a finalização. Bola pela linha de fundo. Aos 32, um lançamento para o atacante André Luís cairia sem riscos no pé de Diego Ivo, mas o defensor do Papão se atrapalhou completamente e quase Renan Rocha sofre gol por cobertura. A bola também seguiu para fora. No último lance, Ruan arrancou pela esquerda com a Ponte, entrou na área do Papão e, com outros dois companheiros contra somente um defensor do Papão, tabelou com Reginaldo e falhou a pontaria.

Ficha técnica (Paysandu 0 x 4 Ponte Preta)

Paysandu - Renan Rocha; Matheus Silva, Edimar, Diego Ivo e Diego; Nando Carandina (Jonathan), Renato Augusto, Pedro Carmona e Thomaz; Claudinho (Lúcio Flávio) e Dionathã (Mike). Técnico: Guilherme Alves

Ponte Preta - Ivan; Igor (Ruan), Reginaldo, Renan Fonseca e Nicolas; Nathan, Lucas Mineiro e Danilo Barcelos; André Luís, Hyuri (Victor Rangel) e Junior Santos (Neto Costa). Técnico: João Brigatti

Gols: Nathan 17'/1ºT, Junior Santos 34'/1ºT e 4'/2ºT e Hyuri 16'/2ºT (Ponte Preta)
Cartões amarelos: Matheus Silva e Diego Ivo (Paysandu); Reginaldo, Lucas Mineiro, Hyuri e Junior Santos (Ponte Preta)

Local: Curuzu (Belém/PA)
Hora: 21h30
Árbitro: Anderson Daronco - FIFA/RS
Assistentes: Rafael da Silva Alves - AB/RS e Mateus Olivério Roch - INT/RS
Público: 6.089 (2.762 pag., 2.077 sócios e 1.250 cred.)
Renda: R$ 94.735,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário