coluna 3

Coluna 2

Coluna 1

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Realidade ribeirinha impressiona ministros do Tribunal Superior Eleitoral

O Presidente do TSE, ministro Luiz Fux, fez parte da comitiva que conheceu de perto as dificuldades da região. “O senhor já tomou banho de rio?”. A pergunta inocente e ao mesmo tempo cheia de curiosidade foi de um pequeno garoto chamado Caio Souza, de apenas cinco anos de idade, ao receber o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, na escola que estuda, a Unidade Pedagógica Sebastião dos Santos Quaresma, localizada na ilha do Combu, em Belém. A visita do ministro fez parte de um projeto que ensina a importância do voto e da cidadania para as crianças, e a ilha foi o local escolhido para representar a Região Norte do País.

A visita ocorreu no sábado, 04, e contou com a presença do prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, da desembargadora e presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE), Célia Regina Pinheiro, o vice-desembargador, Roberto Moura, e além ministro Fux, os ministros Tarcísio Vieira, Sérgio Banhos e Carlos Horbach.

A iniciativa fez parte da agenda de divulgação do projeto 'Justiça Eleitoral Itinerante', que percorreu as cinco regiões do País. As peculiaridades da vida do  povo ribeirinho foi um dos motivos que incentivou a escolha do local para a visita, que vai ficar na história não só dos moradores daquela localidade, mas certamente na memória dos visitantes.

"Este é um momento único. É muito bonito vir aqui, não só pela beleza da região, mas por poder, no exercício do nosso compromisso público, trazer um pouco da mensagem do direito, da democracia, justiça e da cidadania a cada um”, afirmou a desembargadora Célia Pinheiro.

“É uma alegria, uma honra recebê-los aqui, num momento especial em que o Brasil é passado a limpo e que certamente temos que renovar, sobretudo com essa criançada, a reconstrução de um Brasil melhor, mais justo, fraterno e honesto. Portanto o TSE com a sua Escola Judiciária dá um exemplo de que é possível construir uma democracia moderna e a nossa cidade neste momento cresce, enriquece e ganha destaque com a presença dos senhores e esse trabalho”, declarou o prefeito Zenaldo Coutinho.

Durante a cerimônia oficial o prefeito homenageou aos visitantes entregando a medalha comemorativa dos 400 anos da fundação da Cidade de Belém. E, em seu pronunciamento, o gestor municipal fez questão de destacar a importância de dona Angélica Quaresma que doou oficialmente a casa do filho falecido à Prefeitura de Belém para a instalação da biblioteca comunitária da Unidade Pedagógica, além disso ele lembrou ainda que a merendeira da escola foi a segunda colocada em concurso realizado pelo Ministério da Educação. 

A Unidade Pedagógica do Combu é mantida pela Prefeitura de Belém por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e atende aos alunos ribeirinhos nos turnos da manhã e da tarde, desde a educação infantil até o 5º ano. A grande maioria destes alunos chega à escola de lancha - transporte da própria Prefeitura – e essa foi uma das peculiaridades que fizeram com que a UP Combu fosse incluída no roteiro de visitas.

A Unidade é um dos locais de votação e durante a cerimônia o TRE apresentou uma simulação da transmissão dos votos à central do Tribunal para que sejam computados.
Durante a semana equipes do TRE Pará visitaram a escola e realizaram uma palestra sobre cidadania, políticas públicas e direito ao voto.De forma didática as crianças interagiram com os palestrantes e  fizeram sua ‘votação’ para alguns dos serviços que elas consideram fundamentais na vida do ser humano, entre eles a educação.

A escolha, segundo a aluna Fernanda Machado, de cinco anos, foi devido ao exemplo daquilo que ela vive diariamente na sua escola, o que para a titular da Semec, Socorro Aquino, foi uma grata surpresa. “É fantástico. Isso é histórico, principalmente em saber que elas nunca esquecerão que um dia receberam na sua escola, no Combu, quatro ministros para conhecer a realidade delas. Acho que foi um momento que nos ajudou a incentivar a cidadania”, disse a secretária.

Impressões
Conhecer a ilha do Combu parece ter impressionado bastante os ministros, desde a forma de acesso ao local até a variedade de riquezas naturais que encontraram ali. “Eu vim até aqui de barco e entendemos, eu e minha equipe, que não são só as pessoas que devem ir à justiça, a justiça é que também tem que ir às pessoas. Então nós que exercemos a profissão pública precisamos conhecer o Brasil, precisamos conhecer esses locais”, destacou o ministro Fux.

“Quando vejo o prédio onde funciona o Supremo Tribunal Eleitoral, em Brasília, naquele prédio bonito, onde já se discutiu que as urnas deveriam chegar rápido, a votação deve ser mais rápida, agora entendo que é porque eles não sabem que se sair de barco três horas da manhã, na escuridão nesse rio que banha esse município, se uma urna daquela se perder, não tem mais como recuperar”, avaliou o ministro do TSE, se referindo às dificuldades de quem mora em locais distantes dos grandes centros urbanos.

Fux disse ainda que a experiência de conhecer a realidade dos povos ribeirinhos foi uma lição de vida. “Me restam poucos dias de mandato, mas essa experiência eu vou narrar no plenário do TSE. Essa criançada, essa juventude, nós temos uma missão de fé que eles precisam ter para o futuro. 

Uma criança me perguntou por que eu vim aqui, e eu disse que é porque eu amo o Brasil e guardo como o maior valor que posso zelar. E se um dia eu vir uma dessas crianças daqui sendo um político no futuro, vou descansar em paz”, disse em um desfecho emocionado, o ministro Luiz Fux. (ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário