domingo, 14 de outubro de 2018

Devoção mariana avança por todo o planeta

A tradicional festa também é realizada em Portugal, mas em outra data: 8 de setembro. Em Belém, a devoção à Nossa Senhora de Nazaré é antiga. Foi o caboclo Plácido José de Souza quem encontrou, em 1700, às margens do igarapé Murutucu, uma pequena imagem da santa. A partir do achado, a fé na padroeira se intensificou. Hoje, é possível acompanhar procissões para a Virgem em vários municípios do Pará. Há ainda romarias em outros Estados do Brasil e até mesmo fora do País.

De acordo com o monsenhor Raimundo Possidônio, que também é historiador, a devoção se espalhou para outros pontos do Pará por meio de religiosos e também dos próprios fiéis. Ele destaca ainda que atualmente, além de Belém, os municípios de Vigia de Nazaré e Marabá são fortes expressões da fé mariana e já promovem grandes romarias para homenagear a Virgem.

O Círio de Vigia é considerado o mais antigo do Pará. Ele ocorre há mais de 300 anos, sempre no segundo domingo do mês de setembro. A festividade possui os mesmos símbolos da procissão que acontece em Belém, tal como carros, berlinda, fogos de artifício e corda. Já a romaria em Marabá é mais recente e ocorre em outubro. Somente no ano passado, a procissão reuniu mais de 200 mil devotos em um percurso de 7,5 quilômetros pelas ruas da cidade. A festividade, assim como em Belém, também conta com romarias fluvial e rodoviária além de outros símbolos tradicionais do Círio.

Além de Vigia e Marabá, há ainda procissões para à Virgem em outros lugares do Estado. Algumas das localidades são Breves, Castanhal e Marituba. Em Breves e em Marituba, a romaria ocorre no início de novembro. Já em Castanhal, a peregrinação é feita no terceiro domingo de outubro.

NACIONAL - A devoção em Nossa Senhora também alcança outros Estados. Hoje, lugares como Brasília, no Distrito Federal, Rio de Janeiro (RJ), Boa Vista, Rio Branco (AC) e Manaus (AM) rendem homenagens a santa. De acordo com o monsenhor Raimundo Possidônio, os fiéis que deixavam Belém para residir nessas cidades ajudaram a propagar a fé em Maria de Nazaré. “Eles levaram consigo a devoção, a imagem, as tradições e foram aos poucos propagando essa fé, fazendo com que a devoção ganhasse expressão até o ponto que se tornasse um Círio com a participação de outras pessoas que não são paraenses”, explica ele.

Em Rio Branco, a romaria já ocorre há 85 anos e reúne cerca de 15 mil fiéis. Já em Manaus e Boa Vista, as procissões são mais recentes. Assim como em Belém, nessas três localidades a festividade também é realizada no mês de outubro. Já no Rio de Janeiro, o Círio está em sua décima edição e, além da ajuda dos fiéis, também é fomentado por dom Orani João Tempesta.

Para o monsenhor, essa propagação da fé em Nossa Senhora ajuda a divulgar ainda mais a devoção. Ele destaca ainda que mesmo fora de Belém, os fiéis que participam dessas festividades buscam vivenciar o momento de uma maneira única. “Aquilo que a gente sente em relação a devoção a Maria as pessoas vivem em outros lugares e, mesmo sendo distante da nossa realidade, eles se propõe a vivenciarem como se estivessem aqui”, conta ele. “E a beleza da devoção em Nossa Senhora de Nazaré está nisso, que aos poucos ela vai crescendo, vai saindo desse ambiente local e se espalhando por todo o Brasil”, diz.  

PORTUGAL - A tradicional festa também é realizada em Portugal, mas em outra data: 8 de setembro. A devoção mariana começou no país europeu e logo se espalhou até chegar a outras regiões. Segundo a tradição, a imagem portuguesa de Nossa Senhora foi esculpida por São José. No século sexto foi levada para a Espanha e permaneceu no Mosteiro de Cauliniana, perto de Mérida, até 711. Depois foi levada para Portugal, onde permaneceu escondida até 1182. Nesse período, o cavaleiro D. Fuas Roupinho, por intercessão da santa, foi salvo milagrosamente. Após isso ele levou a imagem para a vila que recebeu o nome de Nazaré.  (ORM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário