terça-feira, 9 de outubro de 2018

Diagnóstico precoce de câncer de mama garante tratamento efetivo aos pacientes do HRBA

Há sete meses longe de casa, Cláudia Gomes, 51 anos, luta contra o câncer de mama no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém (PA). Em fase final do tratamento, ela se sente aliviada por ter descoberto a doença a tempo. “Eu fiz mamografia, mas já suspeitava quando senti um nódulo na mama. Com certeza, o Outubro Rosa é muito importante para alertar as mulheres a fazerem o exame e descobrirem o problema antes e iniciar o tratamento com mais facilidade”, conta a moradora de Juruti, que fica localizado no Oeste paraense.
O câncer de mama é a doença mais comum entre os pacientes do setor de Oncologia do HRBA, que atinge pouco mais de 35% dos 1.776 pacientes em tratamento. E para alertar homens e mulheres sobre o avanço da doença, surgiu a campanha mundial Outubro Rosa. Anualmente, as instituições de saúde reforçam a importância da adoção de hábitos de vida saudáveis e da preocupação em garantir o diagnóstico precoce. Em 2017, o HRBA realizou 2.500 mamografias.

“O diagnóstico precoce permite o tratamento mais adequado com cirurgia, sem necessidade de internação prolongada, uso maior de quimioterapia, perda de cabelo, todas essas coisas que acontecem. A gente consegue minimizar os efeitos com o tratamento mais efetivo”, afirma o coordenador do Serviço de Oncologia e cirurgião do HRBA, Marcos Fortes.

Após passar por cirurgia reparadora e finalizar as sessões de quimioterapia, Cláudia vai iniciar o processo de radioterapia. “Hoje eu me sinto bem, porque consegui descobrir a tempo. E sempre que conto a minha história, eu digo para as minhas amigas se cuidarem. Agora eu estou mais atenta do que nunca, até por conta da minha idade”, diz a paciente.

O câncer de mama, por não ter uma causa única, pode surgir por conta de vários fatores, como os genéticos, hereditários e a idade.  “A mamografia é o exame que tem o maior impacto na detecção e é indicado para mulheres entre 40 a 70 anos, anualmente. A gama de tratamento modifica muito se demorar a diagnosticar, não interferindo só para o paciente, com uma perda de efetividade no tratamento, mas, também, aumenta o custo para o sistema público de saúde. Então, o diagnóstico precoce é uma necessidade”, explica Fortes.

De acordo com o Ministério da Saúde, o câncer é a segunda causa de morte no mundo. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil deve registrar cerca de 600 mil novos casos da doença entre 2018 e 2019.

Hospital

O Hospital Regional de Santarém se consolidou no tratamento ao câncer e se tornou referência no atendimento aos pacientes. Desde a inauguração do serviço, em 2008, já foram realizadas quase 91 mil consultas médicas, 54 mil sessões de quimioterapia e 155 mil sessões de radioterapia.

O Hospital Regional do Baixo Amazonas é um estabelecimento de saúde especializado em casos de média e alta complexidades, reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil, sendo referência para uma população de 1,1 milhão de pessoas residentes em 21 municípios do Oeste do Pará. A instituição é certificada pela Organização Nacional de Acreditação com o nível máximo de qualidade, a ONA 3 – Acreditado com Excelência. (Ascom Pró-Saúde)

Nenhum comentário:

Postar um comentário