coluna 3

Coluna 2

Coluna 1

sábado, 8 de dezembro de 2018

Centro de Governo do Baixo Amazonas apoia exposição de indígenas da etnia Wai Wai

Indígenas da etnia Wai Wai começaram ontem sexta-feira (07) uma exposição de produtos típicos do artesanato local. Os produtos estão sendo expostos no Rio Tapajós Shopping, localizado na Rodovia Fernando Guilhon (PA-453), em Santarém. A exposição conta com apoio logístico do Centro de Governo do Baixo Amazonas. 

Os Wai Wai habitam a terra indígena Trombetas-Mapuera, localizada no município de Oriximiná, na margem esquerda do rio Amazonas, no oeste paraense. Historicamente é um povo com atividades alternadas entre a época seca e a época chuvosa, com práticas de auto sustentável na agricultura, caça, pesca e coleta de produtos florestais, dentre estes a Castanha do Pará e a semente de Morototó (Didymopanax morototoni), principais matérias primas que servem para a fabricação de produtos do artesanato.

De acordo com o antropólogo e artesão, Walter Wai Wai, o artesanato é importante, pois é uma das atividades que os indígenas usam para o sustento. "Hoje em dia nós estamos comercializando muitos materiais entre colares, cintos, pulseiras entre outros produtos", informa.

Walter afirma que os principais pólos de recepção do artesanato são os centros urbanos de Santarém e de Oriximiná. "Trazemos da aldeia para comercializar nessas cidades e, também, durante o Festival de Parintins", explica.

São produzidos objetos de madeira e fibras, como os trançados de palha (cestos, peneiras e bandejas), arcos, flexas, além de cordões, colares, pulseiras, braçadeiras, chocalhos e bolsas, feitos a partir de sementes de Morototó (Schefflera morototoni (Aubl.). Esta espécie de madeira é utilizada em carpintaria em geral, construções interiores, marcenaria, esquadrias, forros, caixas, engradados, lápis, palitos de fósforo, instrumentos musicais, brinquedos, compensados, celulose e papel. A árvore, por sua beleza e crescimento rápido, pode ser empregada em arborização de praças e jardins amplos. É indicada para recomposição de áreas alteradas.

Apoio
Esta exposição contou com o apoio logístico do Governo do Estado do Pará, por meio do Centro de Governo do Baixo Amazonas, tendo como parceiro o Instituto de Estudos Integrados Cidadão da Amazônia (Inea). "Estamos começando levantamento e nos organizando para estar mais perto do Governo do Estado para abrir espaço em nossa venda de artesanato. Vale destacar o apoio que tivemos do Centro de Governo do Baixo Amazonas para estarmos aqui", reitera o artesão Walter Wai Wai.

Serviço
A exposição que iniciou nesta sexta-feira (07) encerra no próximo dia 14 no Rio Tapajós Shopping. Endereço: Rodovia Fernando Guilhon (PA-453), no acesso de quem vai para a Vila Balneária de Alter do Chão ou para o aeroporto internacional Maestro Wilson Fonseca.


Samuel Alvarenga
Fone: Fone: Governo do Estado do Pará
Secretaria de Estado de Comunicação - SECOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário