Coluna 1

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Fato lamentável: Vídeo em que torcida do Remo ofende mulheres repercute nacionalmente

A cada ano a participação da mulher nos estádios aumenta. No entanto, ainda persistem situações de machismo e preconceito contra o público feminino, principalmente quando o assunto é futebol.  Um desses casos viralizou nas redes sociais nos últimos dias. Trata-se de um vídeo no qual torcedores do Remo cantam músicas ofensivas para as torcedoras do Paysandu. O que chama a atenção é porque no momento que os torcedores cantavam, as líderes de torcida de Remo e Paysandu faziam uma manifestação pedindo mais respeito às mulheres que vão aos estádios. 
Na faixa, os dizeres eram: "Respeite a Mulher onde ela estiver". Mas, nada impediu que os homens cantassem a música com palavras que denegriam o público feminino. No vídeo é possível ver o constrangimento das "Leoas Azulinas" e das "Bicolindas", como são denominadas as líderes de torcida da dupla Re-Pa. O vídeo é de um clássico realizado em 2017, mas o assunto é bem atual.

Ontem quarta-feira (30), o vídeo foi postado no Instagram do "Quebrando Tabu" e na terça-feira (29), no Facebook, uma página da internet que discute várias assuntos, entre eles, o machismo, sendo conhecida nacionalmente e até internacionalmente. Diante disso, Remo e Paysandu emitiram notas se posicionando sobre a situação que o vídeo retrata. 

O Remo lembrou que várias ações foram feitas ao longo dos anos para as torcedores azulinas e que repudia os atos machistas e preconceituosos praticados por alguns torcedores. O clube diz ainda que vai aderir à campanha #NãoÉNão dentro dos estádios. 
O Paysandu lembra que sempre teve apoio das torcedores nos estádios e lembrou que tem uma mulher como vice-presidente do clube, Ieda Almeida. Também diz que repudia qualquer ato de desrespeito contra toda e qualquer mulher, seja ela bicolor ou não, dentro ou fora do estádio. A nota na íntegra está abaixo. 

Leia na íntegra a nota do Remo
O Clube do Remo repudia atos machistas e preconceituosos como os praticados por alguns torcedores presentes no estádio, em um clássico de 2017. O Remo lamenta o ocorrido e ratifica o seu apoio a toda e qualquer torcedora de todos os clubes do Brasil e do mundo. O futebol muda vidas e realiza sonhos, portanto, é indignante todo e qualquer ato, semelhante a este, que possa prejudicar a beleza que é o esporte. 

Nos últimos anos, o clube levantou a bandeira de diversas causas sociais e promoveu ações para as nossas torcedoras, como o Banheiro Azul, organizado e preparado pelo clube para o público feminino; o Encontro de Mulheres Remistas; a campanha “Respeite a mulher onde ela estiver”, que, inclusive, foi feita logo após o fato do vídeo ter ocorrido; entre outras. 

Para esse ano, iremos aderir à campanha #NãoÉNão, que tem sido focada no Carnaval, mas que traremos para dentro dos estádios. Finalizamos firmando o compromisso, através da Diretoria de Responsabilidade Social, de sempre lutar pelo respeito a todos os torcedores, independentemente de classe, cor, raça, gênero, orientação sexual ou credo religioso. O Remo é do povo e o futebol é de todos.

Leia na íntegra a nota do Paysandu: 
O projeto Bicolindas foi criado em 2016, mas historicamente o Paysandu sempre teve apoio das suas torcedoras nos estádios e em outras praças esportivas. Os mais velhos com certeza lembram bem da grande doutora Elza, da torcida Payxãonossa, uma das primeiras organizadas do Norte do Brasil, fundada na década de 1980. Ela e um grupo de amigos sempre viajavam em caravanas para ver o Papão jogar fora de Belém. Até hoje doutora Elza acompanha o time dentro ou fora de casa, sempre que pode. A dona Regina, da Raça Bicolor, é outro exemplo de fidelidade ao Papão.

Sempre fizemos e faremos questão de ter a presença da dona Regina, da doutora Elza, da dona Maria, das Bicolindas e de todas as outras milhares de apayxonadas que amam o clube. Inclusive, temos uma representante do público feminino na Presidência, com a advogada e professora Ieda Almeida no cargo de vice-presidente de Operações do clube.
Temos ainda plena convicção de que a nossa imensa e apayxonada torcida sabe disso e apoia a presença delas em qualquer lugar. 

Por isso, repudiamos qualquer ato de desrespeito contra toda e qualquer mulher, seja ela bicolor ou não, dentro ou fora do estádio, como mostra um vídeo antigo que curiosamente passou a circular hoje nas redes sociais, no qual as nossas líderes de torcida foram xingadas em uma partida.

Preconceito tem de ser combatido e não tolerado!
Meninas, mulheres, senhoritas, senhoras, o Papão também é e sempre será de vocês!
Vocês sempre serão bem-vindas em qualquer lugar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário