Coluna 1

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Reforma da Previdência chancelada por Bolsonaro garante economia de R$ 1,1 trilhão em 10 anos

BRASÍLIA - O ministro da Economia, Paulo Guedes, conseguiu garantir uma economia de R$ 1,1 trilhão, em até 10 anos, nas despesas com a proposta de reforma da Previdência aceita pelo presidente Jair Bolsonaro em reunião ontem quinta-feira, 14, segundo apurou o Estadão/Broadcast. Pela proposta, as idades de aposentadoria será de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Pela tabela de transição apresentada ao presidente, a qual o Estadão/Broadcast teve acesso, as idades mínimas finais seriam atingidas em 2029 para homens (65 anos) e em 2031 para mulheres, levando 10 e 12 anos, respectivamente, para sua conclusão.
As idades mínimas sobem seis meses a cada ano, a partir de 2019 com 60 anos para homens e 56 anos para mulheres. Com esse ritmo, a idade mínima para aposentadoria em 2022, último ano do mandato do governo Bolsonaro, será de 61,5 anos (homens) e 57,5 anos (mulheres). Essas idades eram o desejo do presidente. Segundo uma fonte, o desenho “alinha o discurso de Bolsonaro com a necessidade econômica”.
O trabalhador vai poder escolher qual regra de transição quer seguir e optar pela mais vantajosa: a das idades mínimas ou o sistema de pontos (que leva em conta a idade mais o tempo de contribuição).

Nenhum comentário:

Postar um comentário