Coluna 1

terça-feira, 9 de abril de 2019

Sespa orienta público-alvo sobre campanha de vacinação

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) orienta o público-alvo da 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra o Influenza a participarem da programação, que inicia nesta quarta-feira (10). As ações serão realizadas pelas Secretarias Municipais de Saúde sediadas no Pará e seguem a estratégia do Ministério da Saúde (MS) de prevenção do avanço da gripe pelo país. As vacinas ficarão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde, mantidas pelas prefeituras, até 31 de maio. No Estado, serão 2.958 postos de vacinação fixos, além de 758 volantes terrestres e 62 volantes fluviais, com 21.350 pessoas envolvidas, incluindo 5.338 equipes de vacinação.
Crianças com idade entre seis meses e 6 anos estão no público-alvo, assim como grávidas em qualquer período gestacional; mulheres até 45 dias após o parto; trabalhadores da saúde; povos indígenas; idosos acima de 60 anos; professores de escolas públicas e privadas; pessoas de qualquer idade com doenças crônicas, como diabetes e outras condições clínicas especiais; jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

Quem tomou a vacina contra a gripe em 2018, deve tomar novamente este ano. A meta é vacinar 2.074.497 pessoas ou, no mínimo, 90% desse total, que corresponde a 1.838.439 pessoas. Para isso, o Pará vai receber do governo federal 2.100.000 doses da vacina, a principal medida preventiva contra a gripe. Em 2018, o Estado não alcançou a meta de 90% entre as crianças menores de cinco anos, sendo, portanto, a prioridade neste ano de 2019.

Como ocorre em toda campanha, os municípios ficarão responsáveis pela aplicação das vacinas. A Sespa recomenda que as unidades apliquem a dose nas pessoas pertencentes aos grupos prioritários, sem distinção de datas, ao contrário do que vem sendo adotado em outros Estados. De um modo geral, as doses estarão disponíveis em qualquer Unidade Básica de Saúde, nas salas das Estratégias de Saúde da Família e em outros locais definidos pelas gestões municipais.

Nota técnica – Um documento emitido pelo MS afirma que a imunização em questão é importante porque evita algumas complicações causadas pelo vírus influenza, como pneumonia e doenças cardíacas. Tomando a vacina, a pessoa não se protege apenas contra a gripe, mas evita quadros mais graves relacionados com hospitalização e morte.

O informe técnico também assinala que a vacina só é contraindicada para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores ou que tenham alergia grave a ovo de galinha e seus derivados. Outra recomendação importante do Ministério da Saúde: as pessoas que tomaram vacina no ano passado devem repetir a dose esse ano, pois a ação da vacina contra a gripe leva duas semanas para funcionar e dura cerca de 9 meses. 

A reaplicação é necessária, porque a vacina oferecida em 2019 é diferente e resguarda o organismo contra outras mutações do vírus.
Orientadora da campanha no Pará, a Sespa recomenda que os profissionais das secretarias municipais de Saúde se empenhem em convencer a população a aderir à vacinação.
Mozart Lira

Nenhum comentário:

Postar um comentário