Coluna 1

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Agenda do dia: veja o que você precisa saber hoje sexta feira (31)

POLÍTICA
- Atos pela educação atingem ao menos 22 Estados
Manifestações convocadas pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) contra o contingenciamento de verbas para a Educação reuniram ontem quinta-feira (30) milhares de pessoas em ao menos 22 Estados e no Distrito Federal. Estudantes e professores voltaram às ruas para protestar cinco dias após as manifestações em favor do governo do presidente Jair Bolsonaro e em defesa das reformas, no domingo passado. Com público menor e mais segmentado em relação aos atos realizados no dia 15, os protestos de ontem contaram com o apoio de centrais sindicais, contrárias à reforma da Previdência. (Via Estadão)

 - Presidente muda posição e diz que deve vetar bagagem gratuita
O presidente Jair Bolsonaro disse na quinta-feira em sua transmissão semanal nas redes sociais que sua tendência é vetar o dispositivo que proíbe a cobrança de bagagens de até 23kg em voos nacionais, incluído no texto da medida provisória que retirou limites de participação de capital externo em companhias aéreas. A declaração representa uma mudança de posicionamento do presidente sobre o tema. (Via Reuters)
- Bolsonaro: ‘Achavam que eu iria resolver os problemas na raça’
O presidente Jair Bolsonaro falou com exclusividade à ‘VEJA’ sobre reformas, desemprego, reeleição, os filhos, o amigo enrolado Fabrício Queiroz, o guru Olavo de Carvalho, trapalhadas de ministros, Lula, o PT, sabotagens, tuitadas e o atentado que sofreu durante a campanha. Em uma das respostas, disse que as pessoas acreditavam que ele resolveria os problemas do país ‘no peito e na raça’. ‘Não é assim’, afirmou. Leia um trecho da entrevista. (Via VEJA.com)

BRASIL
- MPF questiona corte de verbas no Museu Nacional
O Ministério Público Federal enviou na quinta-feira um ofício ao secretário-executivo do Ministério da Educação em que pede informações sobre o impacto que o bloqueio de verbas para universidades e instituições federais de ensino poderá ter nas obras de recuperação do Museu Nacional – destruído por um incêndio em setembro do ano passado. O museu é mantido pela a Universidade Federal do Rio de Janeiro. (Via Estadão)

- Agressor de Bolsonaro diz que ele ‘entregaria riquezas’
Adélio Bispo de Oliveira, autor do atentado contra o hoje presidente da República, Jair Bolsonaro, em Juiz de Fora (MG), afirmou durante avaliação psiquiátrica que tentou assassinar o então candidato porque, se eleito, Bolsonaro ‘entregaria nossas riquezas ao FMI, aos maçons e à máfia italiana’. O autor do ataque, cometido à faca, em 6 de setembro do ano passado, está preso em Campo Grande (MS). (Via Estadão)

- No Brasil, Obama critica liberação de armas nos EUA
O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama (2009-2017) disse na quinta-feira durante evento em São Paulo que uma de suas maiores frustrações à frente da Casa Branca foi não ter conseguido endurecer as regras para vendas de armas nos EUA. ‘A coisa mais difícil [na Presidência] foi o dia que teve um tiroteio em uma escola e 20 crianças foram vítimas, assim como professores. A regulamentação de armas nos EUA não faz sentido. Todo mundo pode comprar uma arma. Podem comprar pela internet, [inclusive] armas automáticas’, disse Obama em sua palestra. (Via HuffPost Brasil)

JUSTIÇA
- STF rejeita ação de Lula que pede suspeição de Moro
O ministro Edson Fachin relator da operação Lava Jato no STF rejeitou o recurso dos advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que questionava a atuação de Sérgio Moro na época em que era juiz. No processo, a defesa de Lula defende que a participação de Moro em eventos corporativos promovidos pelo, hoje, governador de São Paulo, João Doria (PSBD), seriam exemplos da falta de parcialidade do ex-juiz. (Via Poder360)

ECONOMIA
- Dona da Sadia e Perdigão estuda fusão com Marfrig
Duas gigantes dos alimentos, BRF e Marfrig, estão negociando uma fusão. Fato relevante divulgado pela dona das marcas Sadia e Perdigão na quinta-feira prevê 90 dias de exclusividade com a Marfrig, prorrogáveis por mais um mês. A BRF, que enfrenta dificuldades financeiras e de operação neste momento, espera que a combinação reduza a exposição a riscos setoriais e gere ganhos de sinergia. (Via Estadão)


Nenhum comentário:

Postar um comentário