Coluna 1

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Alimentação saudável nas férias ajuda com que crianças não voltem obesas à sala de aula

É importante também que os pequenos tenham atividades físicas. Até 2025, sem uma mudança de hábitos, a obesidade pode atingir 11,3 milhões de crianças no Brasil, segundo alerta da Federação Mundial de Obesidade, há dois anos. No Pará, ainda não há dado estatístico focado no público infanto-juvenil, mas acima de 50% das crianças da rede pública de ensino de Belém apresentavam sobrepeso e mais de 11% delas estavam obesas. A descoberta foi por meio de uma parceria entre a Universidade Federal do Pará e a Secretaria de Estado de Saúde, em 2015. O percentual é alarmante, diante da recomendação da Organização Mundial de Saúde, que recomenda não ultrapassar 5%.
Nas férias escolares, quando algumas regras são quebradas, é importante que os pais e responsáveis pelas crianças tomem certos cuidados com a alimentação para que os pequenos não ganhem muitos quilinhos. A dona de casa Maria de Almeida, 55 anos, conta que nas férias sempre recebe as netas em casa, mas sempre pondera com as meninas quanto à alimentação.

“Elas sempre pedem para comer algumas besteiras, como skilhos, pirulitos, picolé e chope. Eu deixo, mas sempre imponho limites. Fora isso, procuro fazer uma alimentação com salada, não gordurosa, com sucos de frutas. Quando vamos para a praia levo a comida de casa, porque, além de ser mais cara fora de casa, não sei como é preparada. Isso é arriscado para as crianças. Elas precisam ficar bem, sem adoecer até para retornarem às aulas depois”, afirma a dona de casa, que mora no bairro do Souza, em Belém.

A nutricionista Thayana Albuquerque Kirchhoff destaca que nas férias escolares os pais e responsáveis devem continuar zelando pela alimentação das crianças, pois hábitos saudáveis são construídos ao longo do tempo. “Quando a criança desenvolve uma rotina saudável ao longo do semestre é preciso que siga para não perder os bons hábitos que já adquiriu”.

Kirchhoff orienta sobre alguns cuidados específicos para que as crianças não ganhem peso ou não emagreça exageradamente nas férias. “Nas férias, como a criança não vai fazer atividades escolares, vai gastar menos energia, se ela ficar somente dentro de casa sem nenhuma atividade. Então, se ficar comendo a mesma quantidade, é possível ganhar algum peso no final das férias. 

É preciso pelo menos quatro refeições diárias - café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar-, para não comer por excesso em menos para não ter deficiências nutricionais”, explica a nutricionista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário