Coluna 1

terça-feira, 30 de julho de 2019

Apenas dez dos 46 transferidos após massacre de Altamira vão para prisões federais

O governo do Pará confirmou esta manhã que apenas dez dos 46 apenados a serem transferidos após o massacre ocorrido nesta segunda (29) no presídio de Altamira irão para prisões federais. Os outros 36 irão para outras cadeias dentro do próprio Estado. A transferência dos apenados, identificados como líderes ou envovidos diretamente no confronto ocorrido no Centro de Recuperação Regional de Altamira (CRRA), será feita durante toda esta desta terça-feira (30), por rodovia e com apoio de aeronaves, confirmou o governo na manhã desta terça (30).

Aeronaves mobilizadas 

A operação iniciou antes das 9h30 da manhã, com a primeira transferência dos presos. Três dos 16 custodiados que irão para o regime federal por determinação do Ministério da Justiça, Sergio Moro, após solicitação do governador Helder Barbalho, partiram do aeroporto municipal de Altamira para Belém.

Luziel Barbosa, Renilson de Paula Alves e Ezequias Santana da Conceição, que passaram a noite na Delegacia de Altamira, após prestarem depoimento, irão para o regime federal por determinação do Ministério da Justiça, após solicitação do governador Helder Barbalho.
Eles decolaram do aeroporto municipal de Altamira e serão encaminhados ao Complexo Penitenciário de Americano, em Santa Izabel, até determinação de nova transferência para outro Estado. 
Segundo o governo do Estado, outros traslados devem ocorrer ao longo do dia e a programação é de conclusão dos trabalhos ainda hoje.

Outros 30 seguem em caminhão-cela, por estrada
 

Às 10h também foram transferidos, em procedimento semelhante, também saindo da delegacia, Edicley Lima Silva, Melzemias Pereira Ribeiro, Hildson Alves da Silva e Marcos Vinícius Nonato de Souza (Bananada).
Os 30 presos restantes ainda a serem transferidos seguem em caminhão-cela que parte para Marabá antes do meio dia.
Ainda na segunda-feira (29), o Gabinete de Gestão da Segurança Pública do Pará determinou a transferência imediata de 46 custodiados da Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) envolvidos no confronto. Foram confirmadas as mortes de 57 detentos.

Demais serão levados a outros presídios paraenses
 

Dez dos 16 identificados como líderes das facções criminosas, que comandaram o ato, irão para o regime federal, conforme tratativas realizadas entre o governador Helder Barbalho e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.
O restante será redistribuído pelos presídios do Estado.

Outros 30 seguem em caminhão-cela, por estrada
 

Às 10h também foram transferidos, em procedimento semelhante, também saindo da delegacia, Edicley Lima Silva, Melzemias Pereira Ribeiro, Hildson Alves da Silva e Marcos Vinícius Nonato de Souza (Bananada).
Os 30 presos restantes ainda a serem transferidos seguem em caminhão-cela que parte para Marabá antes do meio dia.
Ainda na segunda-feira (29), o Gabinete de Gestão da Segurança Pública do Pará determinou a transferência imediata de 46 custodiados da Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe) envolvidos no confronto. Foram confirmadas as mortes de 57 detentos.

Demais serão levados a outros presídios paraenses
 

Dez dos 16 identificados como líderes das facções criminosas, que comandaram o ato, irão para o regime federal, conforme tratativas realizadas entre o governador Helder Barbalho e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.
O restante será redistribuído pelos presídios do Estado.


Atendimento a famílias é feito à porta do presídio
 

Uma unidade de atendimento médico e psicológico às famílias dos presos foi montada à entrada do presídio onde houve o massacre em Altamira.
Segundo o governo, o objetivo é prestar apoio durante momento de confirmação dos nomes. Por ordem do Gabinete de Gestão, os familiares foram os primeiros a ter acesso à listagem, disse esta manhã do governo do Estado (com informações da Agência Pará).

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário