Coluna 1

sábado, 27 de julho de 2019

Hospital Galileu garante acompanhamento médico mesmo após alta hospitalar

Esperança e determinação são palavras que descrevem bem o que Pedro Gonçalves, 70, está passando. Depois de um acidente grave e internações nos hospitais Metropolitano e Galileu, ele recebeu alta médica, na sexta-feira (26), e agora segue atendido pelo Projeto Âncora, que leva orientações aos acompanhantes dos pacientes sobre os cuidados em casa para garantir a continuidade da recuperação. Pedro foi atropelado por um moto, que resultou em um estado de saúde gravíssimo e uma internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), primeiramente no Hospital Metropolitano, em Ananindeua, e em seguida no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém, ambas unidades do governo do Estado.
Após dez meses de acompanhamento feito por médicos, enfermeiros e toda a equipe multiprofissional, Pedro apresentou uma melhora significativa, que resultou na alta hospitalar. Para garantir a reabilitação do paciente, mesmo após a saída do hospital, o HPEG incluiu o paciente no Projeto Âncora.

"O objetivo é manter o tratamento e os cuidados devidos em casa. Para isso, a equipe identifica potenciais acompanhantes e o capacitamos por meio de orientações, como a troca de curativos, mudança de posições, horários das medicações e outras medidas simples, porém importantes. Esse paciente se sentirá mais confortável por já estar em casa e sob os cuidados de um acompanhante", explica o diretor Hospitalar do Galileu, Saulo Mengarda.

Para a equipe médica, Pedro superou todas as expectativas na sua evolução clínica. "Ele era um paciente muito debilitado que conseguiu alcançar funções motoras de formas surpreendentes. A partir de agora, serão pequenos detalhes que irão garantir a sua melhora", disse a clínica geral que acompanhou Pedro durante sua internação na UTI do hospital, a médica Bruna Santos.

A equipe do Hospital Galileu cadastrou ainda o paciente no projeto Melhor em Casa, uma iniciativa do Ministério da Saúde que proporciona atendimentos de enfermeiros, médicos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas. "Todo o encaminhamento para o programa foi feito para que haja esse acompanhamento profissional em casa", explica a psicóloga do HPEG, Rebeca Moreira.

Família - O filho de Pedro, Gabriel Richard, já se sente preparado para cuidar do pai em casa. "As médicas e enfermeiras nos ensinaram os cuidados básicos que devemos fazer e já temos uma boa base para cuidar dele", disse.
Mesmo com a alta, levando em consideração seu estado de saúde delicado, Pedro ainda precisará retornar ao hospital para atendimentos ambulatoriais. Com a evolução do paciente, todos acreditam que, em breve, Pedro estará totalmente recuperado.

Sobre o HPEG O Hospital Público Estadual Galileu é uma unidade de retaguarda que atende baixa e média complexidades, e presta assistência hospitalar em trauma-ortopedia, clínica médica e cardiologia. Está localizado na rodovia Mário Covas, nº 2.253, em Belém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário