Coluna 1

sábado, 10 de agosto de 2019

Venda para o Dia dos Pais ainda é fraca, afirmam comerciantes

Lojistas acreditam, no entanto, que neste sábado, 10, o movimento vai melhorar. As vendas para o Dia dos Pais nesta sexta-feira, 9, no bairro do Comércio, em Belém, foi considerada fraca pelos comerciantes e trabalhadores do local. Eles afirmaram que neste sábado, 10, o movimento deve melhorar e alavancar o caixa das lojas. Os produtos mais procurados para serem entregues aos pais no tradicional almoço neste domingo, 11, foram itens de confecção como camisas, bermudas e shorts. Celulares e televisores foram os artigos eletrônicos que mais tiveram destaque.
O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e dos Lojistas de Belém (Sindilojas Belém), Joy Colares, informa que a expectativa dos lojistas para a data neste ano é um crescimento de 3% a 5% das vendas em comparação com 2018. “O preço médio dos presentes na capital e região metropolitana deve variar, em média, entre R$ 130 e R$ 150. 

O volume de vendas esperado é de R$ 150 milhões a R$ 160 milhões. Os itens mais vendidos devem ser confecções, mas também produtos de couro como sapato, carteira e cinto. Relógios também sempre são bastante procurados”, afirma ainda o dirigente e empresário.

A gerente de uma loja de confecções, Kleice Santos, confessou que estava decepcionada com o movimento do dia, pois esperava que ao fim da tarde mais produtos fossem vendidos. “Acreditamos que irá melhorar amanhã, pois sabemos que as pessoas possuem o hábito de sempre deixar tudo para a última hora. Mas, até hoje, podemos dizer que está (o movimento) pior que no ano passado”, reclama. Assim como apontado pelo Sindilojas, ela observa que camisas são os produtos mais comprados.

“Gosto de comprar acessórios, na maioria das vezes, como relógios, chapéu, perfumes”, conta a empregada doméstica Liliane Silva de Souza. Enquanto ela procurava o presente para o seu pai, Fernando Souza, ela também observava o movimento de compras da tarde. “Na minha opinião, é até melhor que esteja tranquilo e não um sufoco, como nas datas como Natal e Dia das Mães. Do jeito que está podemos olhar as lojas com mais e escolher as melhores opções”, relata.

Em uma loja de móveis e eletrodomésticos, os nove primeiros dias de vendas de agosto apresentaram queda de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. Foi o que informou o gerente Ronnivaldo Neves. “Apesar disso, observamos que houve crescimento na venda de televisores e caixas amplificadoras de som. Os celulares também seguem bastante procurados”, destaca.

Jonathan Souza, fiscal de uma loja também de confecções, aponta as férias de julho como o principal motivo para a baixa nas vendas. “As pessoas ainda estão endividadas, ainda estão pagando as contas do que gastaram indo para as praias e balneários. Na minha experiência de sete anos trabalhando nesse ramo, as coisas começam a melhorar a partir de setembro”, diz.

De acordo com o Sindilojas, neste sábado, 10, as lojas irão estender o expediente para até as 23h, com o objetivo de alcançarem a meta de vendas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário