Coluna 1

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Pará recebe comissão interministerial para dialogar sobre o meio ambiente

Governadores da Amazônia Oriental se reúnem, neste momento, com uma comitiva formada por nove ministros e coordenada pelo chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, realizada no Hangar Centro de Convenções da Amazônia. O ministro informou que o encontro foi uma decisão do presidente da República, Jair Bolsonaro, que recebeu, na última semana, os representantes dos estados.

Governador do Pará, Helder Barbalho, foi o primeiro a explanar sobre a realidade na Amazônia e o plano síntese de ações para o desenvolvimento sustentável do Estado. Foram apresentadas seis ações imediatas e estruturantes para a região. "Precisamos agir para não viver futuramente com essa realidade. O que acontece em 2019 se difere pela ampliação dos registros, porém não é possível afirmar que os incêndios e as queimadas na Amazônia tenham começado esse ano", pontuou.
Entre as ações apresentadas estão:

- Definição de áreas prioritárias para prevenção e controle de crimes ambientais: BR-163 (Novo Progresso e Altamira) , Xingu (BR-230) e Xingu ATM/SFX. As três regiões compõem mais de 90% dos focos de queimadas;
- Criação de polos de justiça agroambiental integrada, para que os crimes ambientais sejam punidos;
- Criação da sala de situação para emergências ambientais na Amazônia legal;
- Organizar um fluxo de informações em tempo real;
- Monitorar e dar resolutividade;
- Identificar e legalizar a questão fundiária;
- Fortalecimento do Fundo Amazônia e execução das ações planejadas.
"Esses são pontos centrais que podem potencializar o agronegócio e, ao mesmo tempo, impedir o crescimento desordenado e ilegal na Amazônia", acrescentou o governador do Pará.

Em seguida, Waldez Góes expôs a realidade do Amapá. "Essa pode ser uma oportunidade única para nós estabelecermos uma agenda permanente, para criar ações de combate, monitoramento e punição e, ao mesmo tempo, pactuando uma comunicação permanente e direta no trabalho a longo prazo. É hora de criar a sala de situação, monitorar em tempo real, integrar e interagir", afirmou.

Os governadores de Mato Grosso, Mauro Ferreira, e do Tocantins, Mauro Carlesse, foram os últimos a se pronunciarem. A reunião ainda está em andamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário